Publicidade

O objetivo é claro: pôr o Cerco nas nocas do mundo e, através disso, avançar, construir uma academia de artes marciais, abrindo o bairro à comunidade
O projeto “Kicking in – Praticar desporto no bairro!”, da CerPorto e Alice Silva, venceu o prémio Pontes para o Futuro, organizado pela Câmara do Porto.

Concebido pela Associação para o Desenvolvimento Comunitário do Cerco do Porto (CerPorto) e por Alice Silva, era um de quatro a concurso e foi escolhido pelo júri para receber o prémio de 3.000 euros euros para a empreendedora e de 5.000 euros em “consultoria especializada”.

O “Kicking in” pretende, numa primeira fase, organizar um “mega-evento”, que atraia jovens para participarem na futura academia de artes marciais (idealmente antes do começo do próximo ano letivo). De seguida, há que estabelecer o espaço.

“Vai começar por aí, por arranjar força, parceiros, angariar, chamar a atenção para esta causa e, a partir daí, o céu é o limite”, avançou à Lusa Alice Silva, praticante de artes marciais e voluntária do projeto Transformers, que envolveu o ensino de ‘kick-boxing’ naquele bairro da cidade do Porto.

Da parte da CerPorto, Andrea Rocha explicou à Lusa que a instituição foi convidada “a apresentar um problema sentido, neste caso o facto de o bairro ser muito fechado” e de os jovens do bairro do Cerco estarem lá e não “saírem para fora” dele, dando-se também o caso de “não [haver] pessoas a entrar”.

“O problema é as coisas que se passam no bairro do Cerco saírem para fora. Terem visibilidade, terem projeção. Uma academia de artes marciais parece-nos uma ideia que, quando conseguirmos implementar [de forma] sustentada, poderá ser um polo atrativo para as pessoas irem ao bairro do Cerco praticar artes marciais ou outro tipo de desporto”, afirmou.

A ideia do projeto é que seja desenvolvido no espaço da escola do Cerco, que já está ligada ao Transformers, mas é uma hipótese ainda a ser explorada, explicaram as duas responsáveis da iniciativa.

Para já, a CerPorto e Alice Silva vão procurar investidores para o “Kicking in”. O objetivo é conseguir bolsas para jovens que não têm como pagar uma mensalidade.

“Vamos continuar a luta, não paramos por aqui. Agora sim vai começar o trabalho e precisamos de gente que acredite em nós”, disse Alice Silva.