Cena da peça "Mana Solta a Gata", que vai ser exibida este sábado no Auditório Municipal de Olhão. Fotografia: CM Olhão

“O teatro não pode desaparecer porque é a única arte em que a humanidade se enfrenta a si mesma”. As palavras pertencem ao célebre dramaturgo norte-americano Arthur Miller, falecido em 2005.

Este domingo comemora-se o Dia Mundial do Teatro, criado em 1961 pelo Instituto Internacional do Teatro, e há várias propostas. É só escolher a sua peça…

“Dois homens sentados num banco num parque, observam patos e falam sobre eles. Não sabem muito do assunto e rapidamente a conversa evolui para outros temas que os inquietam: a natureza, o amor, o sexo, a solidão, a vida e a morte. Usando a metáfora dos patos ultrapassam a falha de comunicação entre eles e a conversa flui, atingindo momentos de comicidade, que fazem desta peça “simples” de David Mamet, uma grande obra sobre a Condição Humana”.

A sinopse é do espetáculo “Variações à Beira de um Lago”, que vai ser apresentada nos Recreios da Amadora, este sábado, na véspera do Dia Mundial do Teatro. A peça da companhia Teatro dos Aloés sobe ao palco a partir das 21:30, com bilhetes a 1€, onde permanece até 10 de abril, de quarta-feira a sábado, sempre à mesma hora, exceto aos domingos, às 16:00. A representação, da autoria de David Mamet, ainda pode ser vista às terças-feiras, às 14:30, pelas escolas e pelo público sénior.

Também no dia 26, o Cendrev, em Évora, vai organizar visitas guiadas ao Teatro Garcia de Resende, às 18:30, e no domingo, além de abrir as suas portas ao público, vai apresentar o espetáculo “Estes Autos Que Ora Vereis” com textos de Mestre Gil Vicente, às 16:00 horas. O espetáculo e as visitas têm entrada livre, mas é preciso adquirir o ingresso na bilheteira do Teatro ou fazer a reserva através do telefone: 266703112.

Duas irmãs solteironas vivem juntas com uma gata que nunca deixam sair. Uma das irmãs casa, a outra pede-lhe uma carta a relatar pormenorizadamente a noite de núpcias. A outra manda-lhe um telegrama: “Mana, solta a gata!”. Este é também o nome do espetáculo que no sábado vai subir ao palco do Auditório Municipal de Olhão, pela Companhia Teatro do Bairro, às 21:30. Trata-se de uma peça que improvisa a partir do universo de poetisa Adília Lopes, com encenação de António Pires e interpretação de Hugo Mestre Amaro, João Araújo e Rafael Fonseca.

 

No dia 27 de março, o Auditório Maestro Manuel Maria Baltazar, na Lourinhã, vai exibir a peça “O Rei vai Nu”, às 16:30, pela Companhia Teatrosfera. A peça, adaptada e encenada por Fernando Gomes, baseia-se na célebre história de Hans Christian Andresen, encerrando uma magia intemporal que tem encantado crianças e adultos ao longo dos anos. Os bilhetes para a apresentação  – 4 aos 12 anos, 3 €; a partir dos 12 anos, 5 € – estão à venda no Posto de Turismo da Lourinhã e no local, uma hora antes.

No Cadaval, a atriz Vera Mónica vai participar, excecionalmente, no hilariante espetáculo em forma de revista “Gente gira é outra coisa”, marcado para as 16:30 no cineauditório cadavalense. O bilhete normal custa oito euros e o familiar 25 (quatro entradas).

Em Lisboa, o Teatro Tivoli BBVA vai exibir “Arte”, uma peça de teatro com um elenco de luxo: Vítor Norte, Adriano Luz e João Lagarto.

 

 

 

COMPARTILHAR