Publicidade

Um espetáculo de teatro de rua inspirado no herói lusitano Viriato, que contará com a participação de mais de 200 pessoas, é uma das novidades da programação deste ano da Feira de São Mateus, em Viseu, que decorre entre 5 de agosto e 11 de setembro. O projeto ‘Viver Viriato’, ontem apresentado em conferência de imprensa, é liderado pelo Trigo Limpo Teatro ACERT, de Tondela, e integra-se nas comemorações dos 40 anos da companhia teatral.

O espetáculo, intitulado ‘O pequeno grande polegar ou a história de um menino pequeno no mundo dos grandes’, vai ter como personagem principal uma marioneta gigante que, na figura de um menino, vai encarnar a identidade do guerreiro-pastor. Ao todo, estão previstos cinco espetáculos durante o período da Feira de São Mateus, três dos quais nos dias de abertura e de encerramento da Feira e no Dia de Viriato, a 28 de agosto.

O ator e encenador Pompeu José congratulou-se por o município de Viseu ter desafiado a companhia teatral a encontrar uma forma de celebrarem em conjunto os 40 anos da mesma e explicou que “cada parceiro vai trabalhar com uma franja da comunidade”, dando continuidade ao que já tem vindo a fazer e transformando isso “num espetáculo de rua de grandiosidade”.

O espetáculo foi idealizado de forma a incluir a arquitetura local, música ao vivo, a participação comunitária de atores e músicos e até a gastronomia. “Quando o Viriato comer um viriato (bolo) vai ser engraçadíssimo”, gracejou o artista.

Em quatro décadas de existência, o Trigo Limpo tem desenvolvido uma vertente de criação teatral de rua muito marcada pela envolvente comunitária, como provam os espetáculos da Queima e Rebentamento do Judas, o Memoriar, o Golpe d’Asa, o Pinóquio ou A Viagem do Elefante.

O presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, sublinhou que este projeto teatral se insere no objetivo de renovar a programação e a oferta cultural da Feira de São Mateus, tornando-a “num espaço cada vez mais marcante”.

A iniciativa tem como parceiros o Cine Clube de Viseu, o Teatro Viriato, a Companhia Paulo Ribeiro, o Conservatório Regional de Música, a ZunZum, o Teatro Regional de Montemuro, a Girassol Azul, a companhia DeMente e o Politécnico de Viseu. Este último vai colaborar na componente de engenharia associada à construção da marioneta gigante.