A triatleta portuguesa Melanie Santos

A triatleta portuguesa Melanie Santos conseguiu no último sábado o melhor resultado da época, ao terminar no 11º lugar a segunda etapa do World Triathlon Series (WTS), disputada na Austrália, ficando mais perto da qualificação para os Jogos Olímpicos. Santos gastou 1h59m13s para percorrer os 1500 metros de natação, 40 km de ciclismo e 10 km de corrida.

 

“A prova correu muito bem, do início ao fim. Consegui fazer uma boa natação e sair no primeiro grupo. Integrei esse grupo até ao final do ciclismo, que foi bastante duro do início ao fim. No início da corrida senti-me bem e com força e por isso arrisquei e correu bem. Estou bastante satisfeita com o 11º lugar. Deixa-me mais confiante para as restantes provas e dá-me pontos importantíssimos para a qualificação olímpica”, confessou a atleta.

A britânica Helen Jenkins venceu a competição feminina na Gold Coast, com o tempo de 1h56m13s, seguida pela campeã mundial, a norte-americana Gwen Jorgensen (1h56m43s), que viu assim interrompida uma série incrível de 12 triunfos consecutivos em provas da WTS, com o bronze a caber à neozelandesa Andrea Hewitt (1h56m44s).

Nos homens, João Pereira, que regressou à competição, conseguiu alcançar o 15º lugar (01h48m36s), numa prova marcada por um segmento de ciclismo extremamente técnico e sinuoso, com secções muito estreitas que tornavam as ultrapassagens, no mínimo, muito complicadas.

A prova foi ganha por Mário Mola (1h46m28s), que soma o segundo triunfo consecutivo da época em etapas da World Triathlon Series. O espanhol esteve sempre no grupo da frente, tanto na natação como na bicicleta, para depois, no seu segmento mais forte, a corrida, bater o compatriota Fernando Alarza e o britânico Jonathan Brownlee, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

 

Já Miguel Arraiolos, saiu muito atrás na natação e na bicicleta não conseguiu recuperar o suficiente, acabando por desistir. Claramente desiludido, o atleta nacional continua a lutar por uma presença nos Jogos Olímpicos do Rio, mas não escondeu o desalento.

“Não consegui encaixar os ritmos no início do segmento de ciclismo e acabei num grupo atrasado, sem força, e não deu para continuar. Esta foi uma prova na qual não me senti na melhor forma, mas é uma experiência que vamos analisar para retirar as melhores conclusões possíveis”, referiu. O trio nacional regressa a Lisboa esta segunda-feira, com aterragem prevista no aeroporto da Portela para as 21:00 horas.