Fotografia: Federação Portuguesa de Futebol

A seleção portuguesa de futsal apurou-se ontem à noite para o Campeonato do Mundo de Futsal, na Colômbia, ao derrotar a Sérvia por 2-1 na segunda mão do play-off de acesso, disputada no Pavilhão Multiusos de Odivelas.

A equipa nacional repetiu o triunfo da primeira mão, mas os golos tardaram a aparecer. Perante uma Sérvia mais recuada e a apostar nas transições rápidas, os comandados de Jorge Braz tentaram a sorte muito cedo. Logo no primeiro minuto, Cardinal levou o guarda-redes Aksentijevic ao chão. Depois foi Ricardinho e Arnaldo a atirarem ao lado. Aos 10 minutos a barra negou o golo ao melhor jogador do mundo. Ultrapassados os sustos, Rajcevic assustou Vítor Hugo, que fez a sua primeira intervenção na partida, nada que manchasse o domínio luso, que só pecava na hora de finalizar.

Os golos só haveriam de aparecer na segunda metade da partida. Arnaldo atirou para defesa difícil de Aksentijevic e, no seguimento da jogada, Bruno Coelho tocou para Cardinal, que fez o primeiro do jogo, aos 24’. O jogo abria-se, desmontavam-se os esquemas táticos, e a Sérvia chegaria ao empate dois minutos depois, numa transição rápida com Peric a isolar Ristic e este a não falhar.

Portugal passou, então, por algum aperto, mas haveria de voltar a marcar aos 31 minutos, por Tiago Brito, que iludiu a marcação de Kozic, passando-lhe nas costas, e descobriu o lugar certo para receber o passe de Cardinal e fazer o golo. A seleção nacional voltou ao domínio do jogo, o que levou os sérvios a cometer erros – aos 33 minutos já tinham cinco faltas acumuladas.

A sete minutos do fim, a equipa de Kovacevic arriscou tudo com o guarda-redes avançado, o que empurrou Portugal para trás. Os sérvios tiveram mais posse de bola, mas foi a equipa de Jorge Braz a criar as melhores oportunidades. Vítor Hugo atirou ao poste, de baliza a baliza, e houve ainda dois livres de dez metros falhados por Ricardinho e Cardinal. Pelo meio, a Sérvia teve ainda de jogar dois minutos com menos um, por expulsão de Rajcevic.

“Mais uma vez provámos que fomos capazes, quando temos todas as armas disponíveis. Portugal não podia estar de fora de algo tão importante e estamos todos de parabéns”, destacou, no final, Ricardinho, o melhor jogador do mundo da modalidade.

O selecionador nacional, Jorge Braz, relembrou as dificuldades da partida. “Sabíamos que ia ser difícil. A Sérvia joga muito bem com as armas que tem. Tínhamos que ter muita paciência, falhámos num ou noutro momento que é normal num jogo deste cariz mas, acima de tudo, a gestão dos momentos deu-me uma felicidade enorme”, confessou.

Esta é a quarta presença consecutiva de Portugal no Campeonato do Mundo de Futsal (a quinta da sua história), que este ano se realiza entre 10 de setembro e 11 de outubro nas cidades colombianas de Bucaramanga, Cali e Medellín.

COMPARTILHAR