A nova moeda de dois euros, versão corrente

Uma nova moeda de dois euros, alusiva à participação de Portugal nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, entrou hoje em circulação. A iniciativa do Banco de Portugal e do Comité Olímpico português (COP) reproduz, no verso, uma das obras mais icónicas da artista plástica Joana Vasconcelos, o Coração Independente Vermelho, mais conhecido por “coração de Viana”, e apresenta-se como “um elogio ao espírito de determinação, trabalho e paixão que caracteriza o povo português e, em especial, os atletas que nos irão representar”, refere o COP.

O coração, peça icónica da delicada e minuciosa filigrana portuguesa, é uma homenagem a essa grandiosa técnica de enorme exigência e “um louvor ao que faz com que tudo possa acontecer – o amor”, acrescenta o Comité. Neste sentido, a moeda criada por Joana Vasconcelos “pretende inspirar os portugueses de orgulho naqueles que irão à conquista em nome do seu país”.

Ao lado do Coração Independente Vermelho aparece o nome da artista, o símbolo do Comité Olímpico português e a legenda ‘Equipa Olímpica de Portugal 2016’. A face e as dimensões são iguais às das moedas que já existem, mas a nova unidade tem edição limitada – 620 mil peças, com um custo de 1 milhão e 240 mil euros. A Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM) preparou ainda uma versão de colecionador, com acabamentos e embalagens diferentes, que custa 17 euros e 22 cêntimos.

A nova moeda de dois euros é uma das duas unidades comemorativas lançadas este ano pela Casa da Moeda, a par da que assinala o 50.º aniversário da Ponte 25 de Abril. Em 2016, as moedas de coleção são dedicadas ao Modernismo, à inauguração do Museu do Dinheiro, a D. Catarina de Bragança (série Rainhas da Europa), ao Cante Alentejano – Património Imaterial da Humanidade, a Eusébio (série Heróis do Desporto), ao Lince Ibérico (série Espécies de Animais Ameaçadas) e ao Figurado de Barcelos (série Etnografia Portuguesa). Além de Joana Vasconcelos, também André Carrilho, José Aurélio, Rui Vasquez, João Charters de Almeida, José Viriato, João Duarte, Luís Valadares e Baiba Šime foram convidados a desenhar as nove moedas comemorativas deste ano.

A moeda que hoje entrou em circulação sucede à que foi lançada em 2015, de 2,5 euros, numa minissérie centrada na preparação para os Jogos Olímpicos, também da autoria de Joana Vasconcelos. Estas e outras moedas têm vindo a ser cunhadas pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda, em estreita colaboração com o Comité Olímpico de Portugal e com o apoio do governo, permitido libertar fundos que apoiam a preparação da Missão Olímpica nacional, revela o COP.

Cada país da zona euro euro pode emitir duas moedas comemorativas de €2 por ano, as quais têm a mesma face e os mesmos elementos e propriedades das moedas normais. O que as distingue é o desenho comemorativo exibido no verso. A primeira moeda comemorativa de €2 foi emitida pela Grécia, por ocasião dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004. O desenho e a emissão destas moedas são da responsabilidade de cada país e, tal como acontece com as moedas normais, o papel do Banco Central Europeu (BCE) aprova o volume máximo que pode ser emitido.

 

 

 

COMPARTILHAR