Faustin Linyekula é o Artista na Cidade 2016. Fotografia: José Frade

Faustin passou as últimas décadas a contar histórias: do Congo, da República Democrática do Congo, do Zaire, do Congo Belga, nomes de um mesmo país, o seu, onde os corpos foram marcados pela História e as vidas pela violência.

Como se pode deixar o corpo falar da História deixando as palavras para trás, ainda que por um instante? Nesta viagem em direção a si mesmo, o bailarino e coreógrafo congolês embarca num comboio que deixou de existir, cujos trilhos foram engolidos pela floresta, procura o que desapareceu, dança o que foi proibido pela nova época, pelo Deus dos Milagres, e encontra o baterista mestre que desistiu do ritmo e se tornou pastor.

Depois da apresentação memorável de Le Cargo na Cova da Moura em janeiro passado, Faustin Linyekula, Artista na Cidade 2016, volta a apresentar esse espetáculo no dia 21 de maio, às 16:00 horas, no Centro de Experimentação Artística do Vale da Amoreira, na Moita, juntamente com outro solo criado este ano e apresentado no Teatro Camões, Portrait Series: I Miguel, que marca o encontro com Miguel, jovem bailarino da Companhia Nacional de Bailado (CNB).

O encontro é uma palavra que está no coração do processo criativo de Faustin Linyekula e este tenta perceber se entre o Barreiro, cidade à beira Tejo onde vive Miguel, e Kisangani, nas margens do rio Congo, a cidade onde cresceu Faustin, haverá territórios a partilhar, se poderão brotar novas palavras mesmo que por breves momentos, se poderá nascer diálogo.

A escolha destes bairros limítrofes da região da Grande Lisboa para apresentar Le Cargo partiu do próprio artista congolês e foi aceite pela organização do Artista na Cidade 2016. Os dois espetáculos, com a duração de 75 minutos, têm entrada livre e as reservas podem ser feitas pelo 211 810 030 ou através do e-mail cea@mail.cm-moita.pt.

 

Miguel, bailarinon da Companhia Nacional de Bailado. Fotografia: Bruno Simão
Miguel, bailarino da Companhia Nacional de Bailado. Fotografia: Bruno Simão