Se é uma pessoa gulosa, impaciente e poupada, é provável que tenha um problema com as sobremesas. E se alguém lhe propusesse 67 maneiras de satisfazer os seus desejos sem perder grande tempo nem gastar muito dinheiro? Foi nisso que pensou Rita Nascimento, autora do livro “Sobremesas 555”, que reúne quase 70 receitas para fazer em cinco minutos, com cinco ingredientes e gastando, no máximo, cinco euros.

A obra é especialmente pensada para os que partilham os “pecados” da chef, gulosa desde que se lembra. Ainda bebé, a avó gostava de a acalmar com uma chucha mergulhada em açúcar. Preguiçosa e impaciente, também, até inventou um conceito para descrever o estado de espírito dos que são como ela: “guliça”.

Os cinco ingredientes, todos básicos – açúcar, ovos ou manteiga são dos mais comuns -, não contabilizam os chamados “ingredientes de apoio”, como o fermento em pó e o sal fino, e os cinco minutos referem-se apenas à preparação, não ao tempo de cozimento ou refrigeração.

Em cada uma das 67 sugestões gastronómicas, que vão da mousse de limão e chocolate branco aos bombons crocantes de manteiga de amendoim, ou do fondant de chocolate à tarte de amêndoa “para comer à colher, à fatia ou à dentada”, Rita Nascimento oferece cinco dicas simples para transformar a receita e fazer um doce diferente.

O “Dá Cá Mais 5” é, por isso, um incentivo à criação, no fundo a base deste livro que chegou às bancas no dia 13 de maio. Não é o primeiro de Rita Nascimento, que com “A Vida Secreta dos Gelados Caseiros” venceu em 2015 os prémios Gourmand World Cookbook Awards na categoria de Best Single Subject Book.

“Sobremesas 555 – 5 Ingredientes, 5 Euros, 5 Minutos” sugere ainda alguns doces para emergências gastronómicas – uma visita inesperada, uma festa improvisada ou um fulminante ataque de gula -, e “atualiza” receitas clássicas, recriando-as em versões que podem não ser as mais autênticas, mas são igualmente rápidas e fáceis.

O livro é, também, um exercício de improviso, algo que Rita Nascimento conhece bem, já que estudou teatro. A paixão pelos doces acabou por falar mais alto e levou-a a fazer um curso superior de Pastelaria em Espanha, onde trabalhou em restaurantes e pastelarias.

Depois de viver nos Estados Unidos da América, Itália e Reino Unido, regressou a Portugal, onde realizou consultorias e workshops de pastelaria e desenvolveu sabores de gelados artesanais para uma empresa.

Em 2012 criou ‘La Dolce Rita’, uma marca de mixes para cookies e cakes, ao estilo americano, e também o nome do primeiro canal português de pastelaria no YouTube, onde publica vídeos semanais.