Em 2008, nos Jogos Olímpicos de Pequim, as cores portuguesas chegaram pela primeira vez às provas de taekwondo. Pedro Póvoa tornou-se no primeiro desportista nacional da modalidade a representar Portugal na competição. Uma participação marcante para Nuno Costa. «Nessa época o Pedro treinava comigo no mesmo clube e foi realmente especial ver aquele momento».

No Rio 2016, o desportista português vai vivenciar outro momento emocionante. «Agora terei a oportunidade de assistir ao segundo português, Rui Bragança, que iniciou a prática do Taekwondo comigo há mais de 10 anos, e será sem dúvida, ainda mais especial».

A preparação para a prova está a ser «rigorosa, com treinos bidiários de grande intensidade e provas internacionais regulares». A importância de uma competição como os Jogos Olímpicos não fica esquecida. «Claro que existe uma maior responsabilidade nesta prova, mas continuamos a ser nós próprios e confiar no trabalho que nos trouxe até aqui».

Considerado um dos jovens destaques do taekwondo nacional, Nuno Costa tem vindo a cimentar a sua carreira desportiva ao longo dos últimos anos. «Poderia escolher vários momentos especiais, como o de 2010 onde me tornei o primeiro Campeão da Europa (sub-21) português ou a primeira vez que ganhei uma prova do circuito mundial em 2011, mas, para mim, todos os momentos são especiais».

O jovem de Fafe, atleta no Vitória Sport Clube, não tem dúvidas: «Olhando para trás, se tivesse que distinguir algo, não seriam medalhas ou prémios, mas sim os momentos e as amizades com as pessoas que fui conhecendo durante esta grande aventura».