“Não podemos negar que as expectativas da canoagem portuguesa são bastante elevadas”, afirma João Ribeiro. O atleta vai representar a modalidade no Rio 2016, uma prova que marca a sua estreia em Jogos Olímpicos. Apesar da euforia e da esperança lusa, o desportista recomenda moderação: “como sempre temos que ter os pés bem assentes na terra e tentar lutar pelas finais. Este é o primeiro passo senão mais nenhum objetivo fará sentido”.

Com uma carreira recheada de distinções, João Ribeiro destaca “o apuramento olímpico e o título de campeão do mundo” como os momentos altos do seu percurso. Em 2013, venceu o título mundial em K2 500m, ao lado de Emanuel Silva, provando o seu potencial na modalidade. Destaque ainda para o vice-campeonato do mundo de K4 1000m, conquistado em 2014, na Rússia.

Dos palmarés do jovem atleta, que representa as cores do Sport Lisboa e Benfica, fazem parte 20 títulos de campeão nacional. Mas o sucesso não faz abrandar o ritmo, nas semanas que antecedem o Rio 2016. A preparação “está a correr bem, sem lesões e a seguir o plano de treinos dos selecionadores nacionais”.

Apesar do percurso ascendente da canoagem portuguesa, o desportista acredita que existe grande margem de evolução. “Ainda há um grupo muito pequeno de atletas de elite em Portugal”, considera. “O que é preciso é trabalhar para que não sejam casos únicos na modalidade”.