Um dos carros alegóricos nas Cavalhadas de Vildemoinhos

Saíram à rua as Cavalhadas de Vildemoinhos, em Viseu. A tradição tem mais de 364 anos e como todos os anos juntou milhares de pessoas que assistiram ao desfile dos carros alusivos preparados para o dia de São João.

Balões, cabeçudos,  manjericos, carros alegóricos, tudo estava presente num desfile que atrai milhares de pessoas anualmente à cidade de Viseu.

O desfile inicia-se com pessoas montadas a cavalo, seguindo-se os burros a mover os artesãos. Pelo cortejo, observamos muita animação com bandas filarmónicas, ranchos folclóricos.

O desfile alegórico, que evoca a luta dos moleiros de Vildemoinhos pela passagem de água no rio Pavia, é composto por 22 carros temáticos e centenas de figurantes.

As cavalhadas de Vildemoinhos tiveram origem em 1652. Diz a história que duma disputa entre moleiros e agricultores, em que tanto uns como os outros necessitavam da água do rio Pavia: os primeiros para a movimentação das pás dos moinhos e os segundos para regar as suas propriedades.

Houve grande seca em 1652, os agricultores edificaram represas, e então a água não chegava aos moinhos. As autoridades foram insensíveis e os moleiros determinaram na noite de São João subir à Capela de S. João da Carreira e rezar.

Depois da prece, os moinhos movimentaram-se, porém os agricultores logo reorganizaram as represas. Os moleiros apelaram ao poder de Lisboa, que lhes foi favorável, conquistando novamente as águas para os seus moinhos, e em promessa, foram à capela de S. João da Carreira retribuir a bênção do “milagre”.

O percurso do desfile teve início na saída de Vildemoinhos e depois de passar por vários pontos emblemáticos da cidade de Viseu, em especial o Rossio, regressou à localidade.

A tradição mantém-se até hoje, com as cavalhadas e com a festa na freguesia.