Fotografia: Sabugal + - Bruno Campos
Publicidade

O castelo do Sabugal apresenta esta marca arquitetónica única nos nossos dias, mas não aos olhos da história, havendo registo de mais uma torre pentagonal no já desaparecido castelo de Coimbra.

Esta estrutura defensiva pertencia inicialmente ao reino de Leão. Acredita-se que Afonso Henriques tê-lo-á conquistado, mas a fortaleza volta a perder-se no reinado de Sancho I. De acordo com o historiador, João Inês Vaz, o castelo do Sabugal volta a ser português após a assinatura do Tratado de Alcanices em 1297, já no reinado de D. Dinis.

Reza a lenda que este rei terá visitado o castelo em várias ocasiões, mas, que por se manter neste povoado por apenas um ou dois dias, não transforma o castelo na sua habitação. Não é associado a este castelo figura alguma da nossa história, as suas muralhas e torres terão servido apenas para proteção e possível moradia do alcaide ou governador militar.

O castelo foi palco de importantes reuniões entre Portugal e Castela e Leão. Foi nesta fortificação decidida a passagem de Chaves para Portugal em 1230. D. Dinis e Sancho IV de Castela combinaram em 1286 um ataque conjunto a um inimigo de Castela. As pedras do castelo testemunham um último grande evento antes de caírem no silêncio. A última batalha das invasões francesas desenrola-se à sombra do castelo, na qual os franceses são expulsos de Portugal.

Texto: Tiago Canoso

Artigo originalmente publicado em setembro de 2012 no nº6 da revista Descla, edição impressa