Paisagem vinícola na freguesia de Criação Velha, concelho de Madalena. A natureza única da produção de vinho levou ao reconhecimento como Património Mundial da Unesco em 2004. As uvas de vinho "verdelho" são protegidas por paredes de pedra preta dispostas em "currais" e "curraletas" (parcelas retangulares) e constituem uma das maiores redes de pedra construídas pelo homem. Fotografia: Azoresphotos.visitazores – Gustav

O concelho de Madalena, na ilha do Pico, Açores, vai ser a Cidade Portuguesa do Vinho 2017, revelou a Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV). “Madalena foi a vencedora, depois de uma disputa muita renhida, dada a qualidade das cinco candidaturas apresentadas”, sublinhou o presidente da AMPV, Pedro Magalhães Ribeiro, no final da assembleia da associação, em Lamego, onde decorreu a escolha da Cidade do Vinho 2017, através de voto secreto. O município açoriano competia com Moura, Pinhel, Vila Nova de Foz Côa e uma candidatura conjunta das autarquias de Alenquer e de Torres Vedras.

Madalena destacou-se pelas suas características únicas, nomeadamente pela Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, aclamada em 2004 Património da Humanidade, pela Unesco, que a considerou uma das mais complexas estruturas alguma vez criadas pelo Homem, bem como pela “representatividade e evidente crescimento da vitivinicultura, potenciando outras áreas de atividade a montante e a jusante deste setor, muito em particular do enoturismo”, revelou a Câmara Municipal.

Pedro Magalhães Ribeiro sublinhou que, muitas vezes, os Açores não são olhados “como uma zona de vinhos”, e por isso esta distinção poderá trazer visibilidade à produção vinícola da Madalena, ajudando a potenciar o setor naquele território.

A mesma opinião tem o presidente da Câmara Municipal da Madalena, José António Soares, para quem a vitivinicultura “é uma área em crescimento e, com esta distinção, terá ainda mais potencial”. Citado pela agência Lusa, o autarca considerou ainda que esta vitória “vai atrair mais eventos, criar maior notoriedade”.

Fotografia: Azoresphotos.visitazores – Maurício de Abreu/DRT
Fotografia: Azoresphotos.visitazores – Maurício de Abreu/DRT

O concelho da Madalena é uma das treze regiões vinícolas em todo o mundo património da humanidade e integra a paisagem da cultura da vinha da ilha do Pico, classificada em 2004 como Património Mundial pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), que é composta por uma faixa de território que vai do Lajido da Criação Velha (concelho da Madalena) ao Lajido de Santa Luzia (São Roque), abrangendo milhares de pequenos currais de vinha. Estas construções, em pedra, foram erguidas para proteger as videiras do vento e da água do mar, criando uma paisagem rendilhada.

A candidatura do município açoriano contou com o apoio de mais de uma centena de parceiros, nomeadamente todas as autarquias do grupo central e as mais importantes empresas do arquipélago.

Madalena sucede assim a Lagoa, atual Cidade do Vinho, uma iniciativa que surgiu em 2009 e começou por distinguir Palmela, no distrito de Setúbal. Segundo o sítio na Internet da AMPV, o projeto Cidade do Vinho visa “valorizar a riqueza, a diversidade e as características comuns dos territórios associados à cultura do vinho e de todas as suas influências na sociedade, na paisagem, na economia, na gastronomia e no património”, e pressupõe a elaboração de um programa anual de ações culturais, de formação e de sensibilização ligadas ao vinho, com visibilidade nacional.

Fotografia: Azoresphotos.visitazores – Maurício de Abreu/DRT
Fotografia: Azoresphotos.visitazores – Maurício de Abreu/DRT
COMPARTILHAR