Fotografia: Direitos reservados

Os floridos canteiros envolvem um pequeno lago onde convivem peixes e nenúfares, a que só os mais demorados transeuntes prestam atenção.

Ao lado, a “Glorieta” Tomás Ribeiro convida à leitura num ambiente intimista, na companhia do poeta nascido em Tondela em 1831.

Nas estantes em pedra podemos guardar um livro, por entre o esbelto enquadramento em azulejos, recentemente consertados.

A obra data de 1931, três décadas após a morte daquele para quem Portugal é um “jardim da Europa à beira-mar plantado”.