Elisabete Jacinto, José Marques e Marco CochinhoEquipa Bio Ritmo
Publicidade

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto está a ultimar os detalhes para a sua oitava participação no Africa Eco Race, que entre 30 de dezembro e 14 de janeiro vai ligar o Mónaco, em França, ao Lago Rosa, no Senegal.

O objetivo da corredora da equipa Bio-Ritmo® é alcançar um lugar no pódio desta nona edição, que tem início com as habituais verificações técnicas e administrativas.

Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, com o seu MAN TGS, vão disputar a primeira etapa no dia 2 de janeiro e, ao longo de duas semanas, têm pela frente 12 especiais, percorrendo cerca de 6000 quilómetros entre Marrocos, Mauritânia e Senegal, onde vai decorrer a mítica etapa de consagração do rali.

O Africa Race é a maior competição do calendário da equipa e constitui uma verdadeira aventura em termos desportivos e pessoais face às condições extremas em que se desenvolve.

“Este rali tem uma componente de aventura muito grande. Vamos percorrer cerca de seis mil quilómetros em 12 etapas e atravessar vários países culturalmente muito diferentes. Teremos pela nossa frente uma grande variedade climática, desde o muito frio e chuva na Europa, ao calor e secura no deserto. As paisagens são extremamente variadas e estamos sempre a ser confrontados com novas dificuldades ao nível da condução”, assume Elisabete Jacinto.

A piloto quer, como sempre, conduzir rápido, mas admite que o cansaço se instala mesmo antes da partida. “E já não há como recuperar pois as condições de vida são duras! Continuamos a acampar e a viver com o que levamos de casa. Preparámo-nos bem mas, ao longo destes dias há sempre situações inesperadas para as quais temos de encontrar uma solução. É um grande desafio… é muito mais do que uma simples corrida!”, confessa a corredora da Bio-Ritmo®.