A primeira sessão, ‘O mistério dos mistérios’, parte de uma frase do livro ‘Poesia-me’, do autor, que vai ler alguns dos poemas que escreveu para os mais novos.

O ciclo, comissariado por Inês Fonseca Santos, é composto por encontros quase mensais, todos com convidados distintos. “Vai ser um lanche poético, um encontro com crianças, contrariando esse aspecto mais solene da poesia. Vamos tentar tornar [o Jardim de Inverno] numa sala de casa, onde podemos beber um chá, comer um bolo e ouvir poemas”, contou Inês Fonseca Santos à agência Lusa.

A responsável, que realiza oficinas e encontros literários, constata que “os miúdos têm uma disponibilidade maior para descobrir o que não é imediato, estão atentos ao que os adultos já não ouvem por já estarem saturados, têm um olhar que não está contaminado”.

“Na verdade é sempre mais difícil fazer estas oficinas com os adultos. Os miúdos são sempre mais sinceros e estão muito atentos”, confessa Inês Fonseca Santos.

Em fevereiro, o ciclo ‘Poesia-me’ vai contar com o editor e escritor João Paulo Cotrim e o ilustrador André da Loba, que publicaram o álbum ilustrado “Querer muito”, e em março a sessão vai ser protagonizada por Ricardo Henriques e André Letria.

Seguem-se autores como Patrícia Portela e Cláudia Jardim, às voltas com o livro “Esqueci-me como se chama” (Daniil Harms), Isabel Minhós Martins e Yara Kono, autora de vários livros para a infância, ou Catarina Requeijo e Victor Yovani, a ler textos de Manuel António Pina. O último “lanche poético” vai realizar-se no dia 8 de julho com Filipa Leal e a rapper Capicua.