O artista plástico Júlio Quaresma inaugura no dia 8 de fevereiro a escultura “Scars of Memory” nos Jardins do Casino Estoril. Trata-se de uma monumental peça que aborda as catástrofes ecológicas e a proteção do ambiente, apelando a uma consciência coletiva, e convida o público a interagir com a obra e a agir.

A imagem dos espectadores é refletida dentro de cubos em aço espelhado, o que os torna potenciais intervenientes diretos das ações, enquanto as imagens desenhadas mostram os grandes desastres ambientais e sociais produzidos pelo Homem.

A escultura, em aço espelhado e aço corten, com fotografias sobre acrílico retro-iluminado e luz, funciona como “uma caixa de Pandora, simbolizando a ação do tempo e a forma como perdura”, revela o Casino Estoril sobre a obra, que já esteve exposta na III Bienal “the End of the World”, em Ushuaia, na Argentina.

Júlio Quaresma tem desenvolvido uma relevante carreira internacional na arquitetura, na moda, artes plásticas (pintura, instalação, escultura) e design, área na qual projetou linhas de mobiliário assinado.

O artista participou em várias bienais, como a de Havana, em Cuba, e do Ushuaia, na Argentina, e expôs em vários museus desde os Estados Unidos, Espanha, Brasil e China, entre outros, muitos dos quais já têm obras suas nas respetivas coleções.

“Homem da cultura, mas sobretudo inconformista e rompedor, Júlio Quaresma faz do seu trabalho uma pesquisa continua alicerçada na contemporaneidade acentuando a sua singularidade artística, mas também uma clara ação estética, social e política”, sublinha a mesma fonte. A obra “Scars of Memory” vai estar exposta até ao dia 9 de agosto.