Carnaval em todo o lado

No carnaval ninguém há-de levar a mal que voltemos a percorrer as festas que acontecem por todo o país, passando pelas ilhas. É que todos os anos há novidades no entrudo, novas atracções e personagens. Também há velhos costumes, tradições que se faltassem já iriam desiludir, pois fazem parte da identidade carnavalesca – as matrafonas, os gigantones ou os carros alegóricos, por exemplo.

Carnaval é festa, música, dança, mas também momento de sátira, de comédia, uma espécie de grande teatro de rua que por algumas horas, ou alguns dias, permite brincar com quase tudo, do assunto trivial ao sério.

Se já alguma vez leu a Descla e esteve atento ao que escrevemos nestas breves linhas por certo já viu que voltámos ao antigo Acordo Ortográfico – um assunto sério –, por uma questão de respeito pela Língua Portuguesa. O tema voltou recentemente ao debate público com a divulgação de um manifesto assinado por várias personalidades nacionais contra o documento de 1990, que instituiu o novo acordo.

A Descla assumiu, em 2012, a opção de escrever segundos as novas regras, nunca por uma questão de princípio, mas porque nesse ano o acordo passou a ser obrigatório para os organismos e publicações do Estado português e a revista, atendendo ao fim do período de transição, previsto para 2015, antecipou a mudança, à semelhança de outros órgãos de comunicação social.

No entanto, o novo Acordo Ortográfico não é obrigatório por lei – ao utilizar-se a grafia antiga não se incorre num acto ilegal, à excepção do que acontece com os documentos oficiais, que têm de obedecer às regras do novo acordo.

Após uma reflexão séria no seio da redacção, a equipa da Descla optou por voltar a escrever segundo as “velhas regras”, porque não concorda com a nova ortografia e porque entende que ela não é a melhor forma de defender a Língua Portuguesa, parte indelével do património nacional, que a revista sempre assumiu como um dos seus principais desígnios.

...by Descla

Nacional 2: Muito mais do que uma estrada

Património cultural, gastronómico, termal, religioso, vínico e desportivo unem-se numa só rota, a Rota da Nacional 2. Viva tudo isto em 739 quilómetros de estrada, de norte a sul de Portugal

Paixão no Vale de Santarém

Carlos, o liberal, apaixonou-se pela prima Joaninha. O vale de Santarém é o principal cenário desta história

Amor nas Terras do Demo

As histórias de amor podem ser simultaneamente cómicas e trágicas, como prova este romance de Aquilino Ribeiro, que passa por diversas terras, entre elas Viseu, Moimenta da Beira e Sernancelhe

A Morgadinha dos Canaviais: amores secretos e não correspondidos

Na Quinta dos Canaviais e na Quinta de Alvapenha, concelho de Gaia, acontecem histórias de amor secreto e não correspondido

Baltazar e Blimunda: ilegítimos mas felizes

Blimunda tem o poder de ver as “por dentro”, mas promete nunca o fazer com o homem que ama, Baltazar. Memorial do Convento decorre em Mafra e Lisboa