Livraria Ferin
Publicidade

À época das guerras napoleónicas, chegou a Portugal uma família belga, cujo patriarca era Jean Baptiste Ferin. Dos seus 11 filhos, sete apaixonaram-se pelo mundo dos livros. Maria Teresa e Gertrudes inauguraram, no Chiado, um Gabinete de Leitura, onde era possível alugar livros, contribuindo para enriquecer o ambiente cultural lisboeta. Pelo espaço passaram figuras de destaque da vida literária portuguesa, como Eça de Queirós.

Até meados do século XX, o estabelecimento incluía uma oficina de encadernação, que chegou a ser nomeada por D. Pedro V a Encadernadora Oficial da Casa Real.

O Gabinete de Leitura acabou por dar origem a uma livraria. A Ferin é, hoje, um espaço generalista, especializado em livros de grande qualidade, livros em línguas estrangeiras e obras raras.

O estabelecimento, que data de 1840, está decorado com mobiliário em mogno maciço, com o relógio e o barómetro antigos a remeter para os tempos do passado. É também possível observar alguns exemplares de maquinaria antiga, nomeadamente ferros, prensas e máquinas de datilografar.

A segunda livraria mais antiga da capital, a Ferin tem estado sempre, desde a sua fundação, nas mãos da mesma família, um caso único entre as livrarias com mais de meio século. Uma história de sucesso e de amor ao conhecimento.

Na próxima semana… conheça os cafés, chás, chocolates e bolachas d’A Carioca, onde se podem encontrar produtos dos vários continentes.