Tabacaria Mónaco
Publicidade

Fundada em 1875, a Tabacaria Mónaco é um resquício sem-par da Lisboa do século XIX. Os seus dois séculos de história conferem-lhe um estatuto quase único: trata-se de um dos poucos estabelecimentos comerciais da época que mantém não só a sua atividade inicial, mas também a decoração interior e o mobiliário.

Foi batizada em honra do respetivo príncipe, que se julga ser Alberto I, na altura em visita oficial a Lisboa. O seu busto encontra-se, desde então, no interior da tabacaria, conquistando gerações de clientes.

No final do século XIX, o espaço tornou-se uma das mais frequentadas tabacarias da Baixa. Entre os seus clientes encontravam-se figuras de destaque, entre os quais Eça de Queirós, João de Deus e Rafael Bordalo Pinheiro.

Tão marcantes foram os momentos passados na Tabacaria Mónaco que Bordalo Pinheiro chegou a mesmo a pintar os azulejos que ainda hoje decoram o espaço. Integram a decoração uma rã fumadora, uma cegonha leitora e até fios telefónicos, aludindo ao telefónico público da tabacaria, um dos primeiros ligados à rede geral. Histórias de uma loja que faz ela própria parte da História de Lisboa.

Na próxima semana… conheça os enxovais e bordados da Casa Xangai, com a qualidade de antigamente.