Publicidade

Fundada em 1915 por Amorim Lopes, a Retrosaria Bijou foi adquirida por Augusto d’Almeida em 1922 e é gerida pela sua família desde então. A fachada em Arte Nova, de cor cinzenta e com vidros pintados com motivos florais, torna o espaço num dos mais icónicos da Rua da Conceição.

Um dos ex-libris da loja é a centenária caixa-registadora da National, ainda operacional, com a mensagem “O freguez verá no mostrador a importancia da sua compra”. À época, a Retrosaria Bijou foi pioneira ao adquirir uma caixa-registadora automática, visto que as das restantes retrosarias ainda eram manuais.

A porta de entrada da loja era decorada, até há poucos anos, com um cisne em ferro com um peso de cerca de 30 quilogramas, que foi retirado a pedido da Câmara Municipal de Lisboa, devido ao risco de cair na via pública.

O interior do estabelecimento é forrado com balcões e armários da época, onde os clientes podem encontrar milhares de opções, incluindo os mais diversos tipos de botões, sedas para bordados, contas em vidro e madeira, entre outros artigos.

Na próxima semana… o restaurante Estrela da Sé, a fazer as delícias dos lisboetas desde 1857.