British Bar| Fotografia: círculo de lojas de caráter e tradição de Lisboa
Publicidade

O British Bar nasceu em finais do século XIX como “Taverna Inglesa”, um espaço frequentado tanto por súbditos britânicos como por portugueses ligados às agências de navegação e por marinheiros. O bar foi rebatizado em 1919, por António Prazeres, e tornou-se local de encontro de escritores e artistas, como Carlos Botelho, Bernardo Marques e José Cardoso Pires, que o chegou a descrever como tendo “um sabor a cais sem água à vista”.

As instalações do British Bar mantêm-se praticamente inalteradas desde a década de 30. O seu célebre relógio, cujos ponteiros funcionam no sentido da rotação da Terra, continua a fascinar os clientes com a sua precisão. Destaque ainda para um relógio inglês dos finais do século XVIII, em madeira, com mostruário de esmalte e alabastro.

Cervejas nacionais e estrangeiras, vinhos, petiscos e a célebre “ginger beer”, especialidade do British Bar, são as especialidades da casa. A fama do estabelecimento atravessou fronteiras: Alan Tanner elegeu o espaço como um dos locais de filmagens de “A Cidade Branca”, em 1983. A tradição e o sabor britânico para descobrir em plena Baixa lisboeta.

Na próxima semana… Mais de 85 anos de memórias da Casa Pereira, a mercearia de eleição de várias gerações de lisboetas.