Casa Pereira| Fotografia: Círculo de lojas de caráter e tradição de Lisboa
Publicidade

A mercearia fina foi fundada há 86 anos, no espaço de uma antiga perfumaria, por José Francisco Pereira. Em 1945, José António Fernando de Lemos, então com 18 anos, começou a trabalhar no espaço. Hoje, é um dos três sócios do estabelecimento, que é detido por uma sociedade familiar, gerindo a loja e atendendo os clientes, juntamente com o seu filho Paulo, responsável pela elaboração das montras.

“Bolachas, chás, chocolates”, anunciam os letreiros na fachada. Assim foi desde o início, com uma oferta de qualidade que depressa conquistou os lisboetas e aqueles que passavam pela capital. Mas desde 1996, com o sucessivo encerramento de fabricantes de chocolates, a Casa Pereira começou a diversificar os seus artigos, vendendo vinho do Porto, licores e whisky, entre outros produtos. Ainda hoje, os lotes de café vendidos no estabelecimento são todos preparados na loja depois de torrados na Casa Negrita, nos Anjos, e continuam a constituir uma das opções mais procuradas pelos clientes do estabelecimento.

A Casa Pereira sofreu algumas alterações em 1958, com a redução da zona do armazém, a ampliação da loja e melhorias nas montras. O estabelecimento, inserido na Lisboa Pombalina classificada Conjunto de Interesse Público, escapou incólume ao grande incêndio do Chiado, em 1988, que destruiu muitas das lojas vizinhas. O seu interior, onde é possível encontrar arcos em azul claro nas paredes e no teto e um típico balcão de mármore, apresenta armários-vitrine em madeira, conduzindo os visitantes numa viagem até à Lisboa dos anos 30.

Na próxima semana… o letreiro de ferro dá as boas-vindas à Ferragens Guedes, um dos estabelecimentos mais antigos da capital.