Publicidade

Um tesouro arquitetónico em plena Baixa lisboeta; assim se define a Ourivesaria Barbosa & Esteves. Inaugurado em 1927, na sua génese o espaço fazia parte do trio de ourivesarias da Rua da Prata pertencente a três primos da família Araújo. O estabelecimento, inserido na Lisboa Pombalina classificada Conjunto de Interesse Público, comercializa prata decorativa e utilitária, ouro e filigrana, sendo um dos mais reputados da Baixa lisboeta. Propriedade da Sociedade Barbosa, Esteves & Cia, continua a conquistar lisboetas e estrangeiros pela qualidade dos seus produtos e por nove décadas de trabalho e tradição.

Trata-se de um caso raro de património integrado nos espaços comerciais de Lisboa, sendo considerada um projeto pioneiro de forte inspiração Art Déco. A “obra total”, concebida nas primeiras décadas do século XX, é da autoria de Cottinelli Telmo e inclui a fachada, o interior, o grafismo, a iluminação, o mobiliário e o desenho da calçada. O espaço está praticamente inalterado deste a sua projeção no que respeita ao desenho, exterior e interior, à decoração e aos materiais utilizados.

A decoração interior da fachada, desenvolvida pelos arquitetos Cottinelli Telmo e Luís Cunha, utiliza linhas absolutamente Déco, em tons de vermelho e preto e recorrendo a materiais como ferro, bronze e mármore. Destaque para o desenho de pormenor e para a elevada qualidade estética na criação dos balcões, das vitrines e dos candeeiros interiores e exteriores (lampiões). O elegante letreiro a néon, com o nome do estabelecimento, confere à fachada o toque de requinte que os lisboetas tão bem conhecem.

Na próxima semana… a alta cozinha tradicional do Restaurante Gambrinus, na Rua das Portas de Santo Antão.