Publicidade

A Casa Fundação Luís Figo vai ser construída em Algés, concelho de Oeiras, nas antigas instalações da Escola Sofia de Carvalho. O protocolo entre entre as três entidades responsáveis pela obra, a Fundação Luís Figo, a Equipa Móvel de Desenvolvimento Infantil e Intervenção Precoce (EMDIIP) e a Câmara Municipal de Oeiras, foi assinado ontem.

Trata-se de um sonho antigo da Fundação Luís Figo, que contribui com meio milhão de euros para a transformação do espaço da antiga escola. A autarquia de Oeiras doa 250 mil euros para o projeto, que vai ser gerido pela EMDIIP, numa direção conjunta com a fundação do ex-futebolista.

A Casa Fundação Luís Figo vai ter um Lar de Infância e Juventude, com capacidade para acolher até 30 jovens entre os 12 e 18 anos, um Centro de Apoio Familiar e Acompanhamento Parental (CAFAP), para ajudar mais de 100 famílias, um Centro de Atividades de Tempos Livres (CATL), com capacidade para 40 crianças, e ainda um Centro de Investigação e Avaliação (CIA), que vai acompanhar cerca de 250 crianças.

O novo espaço pretende ser uma resposta inovadora a nível nacional às necessidades das famílias, crianças e jovens em risco social, biológico ou que manifestem doença mental, dificuldades no desenvolvimento ou condição de deficiência.

A Casa Fundação Luís Figo pretende estabelecer uma “cooperação estreita” com entidades e serviços da comunidade vocacionados para a prestação de apoios adequados às necessidades das famílias, das crianças e dos jovens, designadamente nas áreas da educação, saúde, justiça, segurança social, emprego e formação profissional.

“Este é um dia muito importante para a minha Fundação, pois representa o primeiro passo para a concretização de um sonho antigo”, confessou Luís Figo, revelando que o projeto constitui “um grande desafio, pois vem ao encontro do principal objetivo da Fundação, sempre presente, de continuar a realizar um trabalho criterioso, consistente e credível, com base nas premissas de solidariedade, igualdade, e criação de oportunidades para as crianças e jovens que mais precisam”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Paulo Vistas, “este é um projeto que vai realmente acrescentar valor à coesão social de Oeiras, e que extravasa as fronteiras do município, uma vez que terá seguramente um forte impacto nas crianças e jovens deste concelho e dos concelhos vizinhos”.

Por seu lado, o presidente da EMDIIP, André Rica, referiu que a equipa “encontrou eco de missão na Fundação Luís Figo, o que nos permitiu chegar mais longe no cumprimento do nosso objetivo: o bem estar das famílias e das suas crianças e jovens”.