Olga Prats

A pianista portuguesa Olga Prats e o compositor belga Wim Mertens são dois dos destaques da 52ª edição do Festival de Sintra, que se realiza entre 5 e 27 de Maio e que vai juntar grandes artistas nacionais e internacionais, bem como jovens revelações.

“Tradição e modernidade” é a máxima para este ano de um evento que procura aliar uma história rica de experiência a uma maior democratização da cultura, com o objectivo de alcançar um público mais variado e um maior número de espectadores.

O festival tem início no dia 5 de Maio, no Centro Cultural Olga Cadaval, com uma homenagem a uma das mais assíduas colaboradoras, Olga Prats, uma referência incontornável da música em Portugal e que comemora 65 anos de carreira. A festa vai contar com outros artistas de renome, como António Victorino de Almeida, Artur Pizarro, Alejandro Erlich-Oliva, entre outros.

O dia seguinte é dedicado a Wim Mertens, compositor, pianista, guitarrista e musicólogo belga, que, numa versão de piano solo, vai apresentar uma leitura essencial do tríptico Cran des Oeufs. A pianista brasileira Lígia Moreno, que venceu o 1º Prémio do Concurso Grieg na Noruega, vai actuar no dia 7 de Maio na Quinta da Piedade.

A linha mais tradicional regressa nos dias 12 e 13 com artistas da Escola Russa, reconhecida unanimemente como uma das referências pianísticas. Vladimir Viardo e Anna Malikhova, dois grandes nomes da interpretação e da pedagogia, vão apresentar-se no Palácio Nacional de Queluz e no Auditório Acácio Barreiros do Centro Cultural Olga Cadaval, respectivamente. Também da Escola Russa, mas de uma geração mais nova, a jovem virtuosa Kristina Miller-Koeckert vai mostrar o seu talento no dia 14 de Maio, na Quinta da Piedade.

Um dos dias mais especiais do festival é o 13 de Maio,  quando o pianista Mário Laginha se juntar às Orquestras Escolares de Sintra para trazer ao Festival de Sintra a sua visão da música portuguesa, baseado na pesquisa de Michel Giacometti e Fernando Lopes Graça e do seu monumental Arquivo da Música Tradicional Portuguesa. “Será uma experiência única para os jovens das Orquestras Escolares de Sintra que terão a oportunidade de apresentar-se no palco do Auditório Jorge Sampaio”, revela a organização do festival.

Depois da Rússia, segue-se outro país que conjuga bem a tradição com a modernidade musical, a Áustria. O primeiro concerto é de Amarcord Wien, dia 19, no Palácio Nacional de Sintra. Segue-se o grande pianista austríaco Gottlieb Walisch, no dia 20, na Quinta da Piedade, e Hugo Wolf Quartet, dia 21, no Palácio Nacional de Sintra.

O acordeonista francês Richard Galliano vai actuar no penúltimo dia do festival, 26 de Maio. Como habitualmente, o Festival de Sintra termina com um concerto gratuito, no Largo do Palácio Nacional de Queluz, que permite o acesso do público geral à grande música. O “Concerto Promenade” conta com a colaboração da Banda Sinfónica do Exército, do Coro Lisboa Cantat e de três dos mais promissores cantores portugueses: a soprano Carla Simões, o tenor Pedro Rodrigues e o barítono Diogo Oliveira.

A 52ª edição do Festival de Sintra inclui ainda o “Sons da Rua”, que nos dias 20 e 21 de Maio vai juntar duos, trios, quartetos, coros, bandas e orquestras numa oferta musical variada e constante que vai percorrer as ruas da vila desde o Museu das Artes de Sintra até ao Terreiro Rainha D. Amélia.