Fotografia: Patrícia Posse
Publicidade

Este parque estende-se pelas chamadas Terras Frias, nos concelhos de Bragança e Vinhais. Aqui vivem 250 espécies de vertebrados, 150 das quais são aves.

Muitas estão ameaçadas ou têm uma distribuição muito reduzida em Portugal. Lobos-ibéricos, corças, veados, toupeiras-de-água, gatos-bravos, lontras, morcegos-de-ferradura-grande e ratos-dos-lameiros são alguns dos animais que aqui podem ser encontrados.

Entre as aves, destacam-se a águia-real, a cegonha-preta , o tartaranhão-azulado, o picanço-de-dorso-vermelho, o melro-das-rochas  e a petinha-ribeirinha.

Esta área protegida é de enorme importância para os invertebrados, podendo encontrar-se aqui peixes ameaçados como a panjorca e o verdemã-do-norte.

Devido à raridade do solo, que contém rochas ultrabásicas, existem aqui espécies vegetais raras e até únicas no mundo inteiro. Exemplos disso são a arméria Armeria eriophylla, a vulnerária Anthyllis sampaiana, a gramínea Avenula pratensis ssp. lusitanica, a violeta-de-pastor Linaria aeruginea, o feto Notholaena marantae ssp. marantae e a santolina Santolina semidentata. Mas estas espécies são apenas um exemplo, pois a flora é extremamente rica no parque de Montesinho.

Mas não são só as plantas e os animais que fazem deste parque aquilo que conhecemos. As pessoas e as aldeias, com as suas tradições e costumes, atraem muitos visitantes.

A aldeia de Gimonde é um dos locais a visitar. E para quem gostar de desporto, existem trilhos pedestres e de BTT que permitem ao visitante estar em contacto com a natureza.

 

Texto: Ana Margarida Gomes