Sé de Viseu. | Fotografia: CM Viseu
Publicidade

A Cava de Viriato é um dos locais mais emblemáticos da cidade de Viseu e, ao mesmo tempo, um dos mais misteriosos. De historiadores a arqueólogos, ninguém sabe ao certo quando foi construída. Poderá ter sido um acampamento romano reconstruído pelos muçulmanos, mas a última teoria aponta para o projecto de uma cidade de poder na Alta Idade Média. Viriato, o herói lusitano da luta contra os romanos, mantém-se indiferente a esses estudos. De espada na mão desafia quem passa junto ao monumento.

No alto da cidade impõe-se a Sé de Viseu, uma das mais antigas de Portugal, construída junto a um primitivo templo suevo-visigótico que dataria do século X, época em que a povoação foi capital de um extenso território limitado entre os rios Douro e Mondego.


Publicidade

RodaClássica

O edifício, começado em finais do século XIII, é um acervo de estilos decorativos – gótico, tardo-gótico, renascentista –, com um claustro que é um ex-líbris do Renascimento em Portugal. O altar é de finais do século XX e, atrás dele, a capela-mor esconde o sublime cadeiral dos cónegos.

Estátua de Viriato. | Fotografia: CM Viseu

Viseu é uma cidade de eventos culturais e de lazer. O Festival de Street Art, o Festival de Música de Primavera, os Jardins Efémeros, os Vinhos de Inverno e a bem conhecida Feira de São Mateus, uma das mais antigas feiras francas da Península Ibérica, são algumas das atracções ao longo do ano. Os turistas estrangeiros, sobretudo, admiram-se pelo facto de muitos destes eventos terem acesso gratuito.

Na hora de nos sentarmos à mesa, o rancho à moda de Viseu é o prato mais típico. A vitela de Lafões é uma especialidade que provém da região que lhe dá o nome e que inclui os concelhos de Oliveira de Frades, Vouzela e São Pedro do Sul e algumas freguesias dos concelhos de Sever do Vouga, Viseu e Castro Daire.

Solar do Vinho do Dão. | Fotografia: CM Viseu

Para adocicar a boca há o pastel de Vouzela, a cavaca de Resende, os viriatos, as “rotundinhas” – afinal, estamos em Viseu –, a castanha de ovos e o pastel de feijão, entre muitas outras iguarias.


Fique a conhecer melhor estes municípios e aproveite para planear as suas férias e visitar alguns destes locais. De carro, mota, bicicleta, caravana ou a pé; de uma vez só ou por etapas, a N2 pode ser feita de variadas formas. Visite a edição completa no link seguinte: Rota da Estrada Nacional 2.