Fotografia: Tiago Canoso
Publicidade

As pegadas em forma de estrela denunciam as lontras. Vivem junto diversas às linhas de água que atravessam o concelho de Manteigas. O equilíbrio entre essas fontes de vida, as zonas de matos e as espécies folhosas e resinosas tornam esta área um dos habitats privilegiados para este e outros animais, como a cobra-de-água-de-colar, o lagarto-de-água, o coelho-bravo, a raposa, o ouriço-cacheiro e o javali, que dá nome a esta rota. Lá em cima observamos o peneireiro e o tartaranhão-caçador, entre outras aves de rapina.

Ao longo do percurso vemos castanheiros, freixos, carvalhos-negrais, vidoeiros – muito raros em Portugal – ou gilbardeiras, árvore que possui estatuto de conservação. A Ribeira de Leandres é uma das principais linhas de água: corre rápida pelo meio de escarpas e vales e atravessa o Poço do Inferno, uma cascata natural com cerca de dez metros.

A Rota do Javali permite uma vista panorâmica sobre a vila de Manteigas. Imaginamos Horácio, personagem do romance A Lã e a Neve, de Ferreira de Castro, nas duras caminhadas que fez até à Covilhã em busca de uma vida melhor que lhe permitisse comprar casa e desposar o seu grande amor, Idalina.

Leia mais na edição especial da revista Descla dedicada aos trilhos verdes de Manteigas