Fotografia: Tiago Canoso
Publicidade

A Ribeira de Leandres é um daqueles locais mágicos que não nos cansamos de admirar. A água corre por entre vales e escarpas rochosas, criando prodígios como o Poço do Inferno, uma cascata natural com cerca de dez metros. Este afluente do rio Zêzere é um dos melhores locais para praticar canyoning, modalidade que consiste na descida de rios e ribeiras de montanha a caminhar, a saltar e em rapel.

Uma ponte de madeira espera quem se aventura. Caminhamos 50 metros e iniciamos o primeiro rapel, de oito, o mais pequeno de todos, seguindo depois pela ribeira até encontramos o segundo, de 12 metros, que podemos interromper a meio para fazer um salto. Há-de ser assim nas próximas quatro a cinco horas, tempo médio do percurso: andar, descer apoiados em cordas, saltar e, eventualmente, nadar, tudo com grande cuidado.

Poço do Inferno, 18 metros de rapel: mas a adrenalina é maior do que o susto. A aventura termina aqui para os que escolheram o sector “Ribeira de Leandres Inferior”, destinado aos menos experientes nestas coisas do canyoning. Para os outros, os que optaram pela “Ribeira de Leandres Inferior”, este é o ponto de início e também a zona ideal para o necessário reforço alimentar.

Mais uma ponte e, logo a seguir, um novo rapel com 10 metros. Seguem-se outros de 6,5 – com recurso a corda – 13 e 12 metros, intercalados com caminhadas, umas mais demoradas do que outras. E eis que chegamos a uma parte mais técnica da ribeira, com dois ressaltos, que ultrapassamos com dois rapéis de nove metros, o último deles suspenso.

O maior rapel, com 25 metros, vem depois, antecedendo um pequeno salto, de dois a três metros – seja como for, o cuidado é sempre pouco e é preciso verificar a profundidade da água. Caminhamos mais 50 metros até à última ponte, onde termina a nossa aventura.

 

Equipamento necessário

Corda de 50 metros ou duas cordas de 25 metros

Fato de neopreno

Botas de caminhada

Capacete

Arnês

Descensor

Mochila

Bidon estanque

 

Ficha técnica

Altitude inicial: 1143 metros

Altitude final: 967 metros

Tempo de acesso: 15 minutos

Tempo de descida: 4 a 5 horas

Tempo de regresso: 30 minutos

Dificuldade: Média, com caudal estival

Região: Serra da Estrela – Manteigas. Carta Militar 224

Coordenadas de entrada: 40º 22’17.67”N 7º31’4.31”W

Coordenadas de saída: 40º22’33.25”N 7º30’59.95”W

Período recomendado: Maio a Outubro

 

Leia mais na edição especial da revista Descla dedicada aos trilhos verdes de Manteigas