Fotografia: Pedro Ramos Santos
Publicidade

Mais de 30.000 pessoas passaram pela Serra do Caramulo entre os dias 8 e 10 de Setembro para assistir à 12ª edição do Caramulo Motorfestival e sentir a magia dos automóveis clássicos.

Os números foram revelados pela organização do evento, que destaca o recorde de 2.500 entradas no Museu do Caramulo em apenas três dias, o valor mais alto desde a sua fundação, há quase 70 anos.

“Não podíamos estar mais contentes com o que o Caramulo Motorfestival cresceu e se tornou”, confessa a organização, embora reconheça que há ainda “muito por fazer”. “Mas a contínua adesão do público, o entusiasmo crescente dos aficionados, a presença de tantos pilotos de referência, e sentir que contribuímos para divulgar e desenvolver a paixão motorizada em Portugal, para além de impulsionar a região do Caramulo como destino de excelência, são algumas das nossas motivações para continuar a fazer mais e melhor”.

A 12ª edição atraiu, uma vez mais, alguns dos melhores pilotos da actualidade, bem como diversos veteranos. Um dos momentos mais emotivos do Motorfestival foi a recepção do piloto francês Cyril Neveu, que venceu por cinco vezes o Paris-Dakar.

Entre os convidados, destacaram-se ainda as presenças de Filipe Albuquerque, Tiago Magalhães, Joaquim Jorge, o segundo da geral da Rampa Histórica deste ano, ou o jovem piloto Rodrigo Correia, que com apenas 13 anos já disputa o Campeonato Nacional de Ralicross.

Nas pilotos, a grande atracção foi Rosário Sottomayor, a mais bem-sucedida piloto de velocidade portuguesa, que venceu a categoria Senhoras da Rampa Histórica do Caramulo e recebeu o Prémio Abel de Lacerda, o qual distingue anualmente uma figura que se destaque pelo seu contributo para o meio desportivo e automóvel.

O evento incluiu, como sempre, inúmeros passeios, concentrações e ralis, uma Feira de Automobilia, parada militar, espectáculo aéreo, pista todo-o-terreno, actividades radicais, parada de bicicletas, subidas de motos antigas e de competição, um Monster Truck Show e um espectáculo de drift.

O público pôde ainda ver de perto os belos Lamborghini Aventador S, um dos quais como carro 0 a abrir a Rampa Histórica do Caramulo, e contemplar os quatro caças F-16 que rasgaram os céus do Caramulo em tom de encerramento do evento.

Joaquim Rino venceu a geral da Rampa Histórica do Caramulo ao volante do BRC 05 Evo, com o tempo de 1m28,591ss. Em segundo lugar ficou Joaquim Jorge, em Ford Escort RS 1600, que fez 1m32,921ss, e em terceiro Tiago Prata, com o seu Westfield Aerorace, registando 1m33,981ss.