Publicidade

Saber o que define a arte, as diferentes formas e o meio em que a transmissão é feita, tornou-se um tema tão vasto na actualidade ao ponto de ser difícil se expressar de forma diferente. No entanto, num mundo tecnológico onde as invenções parecem infinitas, manifestar a criatividade vai para além do imaginável.

Actualmente o Instagram, uma rede social de partilha de fotografias e vídeos online, tem vindo a se tornar uma das ferramentas mais usadas entre os internautas. Entre os milhões de utilizadores, destacar-se de forma positivamente diferente é uma tarefa árdua. Ainda assim, existem pessoas que encaram a rede social de uma maneira distinta do habitual.

José Lourenço (@joselourenco) é um dos exemplos entre os instagramers portugueses que utiliza a plataforma de maneira ousada. Torna os objectos do quotidiano em composições cheias de cor e vida.

Intercalando com paisagens reais, o perfil transmite um misto de sensações pelas formas simétricas e coloridas.

Ao longo das semanas partilha as imagens com mais de 121 mil seguidores através da grande galeria, fazendo uma brincadeira nas legendas em que dramatiza o que visualmente se parece nas criações.

Teresa Freitas (@teresacfreitas) também constitui o grupo de utilizadores da comunidade portuguesa do Instagram que se diferencia pela originalidade. As cores pastel, azul e verde claro são as predominantes para estabelecer uma harmonia que transmita paz e beleza ao mesmo tempo. Tem especial cuidado em que as fotografias combinem com o tema.

O mar é um elemento predilecto da autora. No entanto, outras paisagens podem aparecer, mas as cores mais claras surgem sempre a qualquer momento. A partir de Lisboa transmite todo o cuidado estético com mais de 102 mil seguidores que tornam a conta cada vez mais reconhecida.

Daniel Cerejo (@dcerejo) produz convenientemente as fotografias que publica de forma a evidenciarem um cariz cómico. Ao explorar os registos é possível ver que brinca com objectos reais para transpor ideias fictícias. Quem se juntar aos 109 mil seguidores que
acompanham o trabalho do Daniel, possivelmente fica contagiado com a alegria ressaltada pelo compositor.

Wandson Lisboa (@wandson) é outro modelo de arte no meio de comunicação social anteriormente mencionado. Mais de 65 mil seguidores são presenteados com as arrojadas fotografias. Através de simples objectos, forma uma coerência lógica, divertida e, sobretudo, inovadora. Comida, brinquedos e flores são os elementos que se sobressaem ao longo das publicações de Wandson.

Os exemplos são imensos. Um género tão abstracto e diversificado não se deve restringir a um só cânone. As sensações intrínsecas a cada pessoa são diferentes e, por isso, a arte é encarada de forma incerta por todos. Na ausência de um modelo certo ou errado, os nomes acima referidos são merecedores de reconhecimento pela dedicação.

Sendo a arte um conceito demasiado vago, um último exemplo, diferente dos já apresentados, de se afirmar na plataforma Instagram são as páginas que utilizam as fotografias de diversos autores para elaborar conteúdo. Nas páginas é possível acompanhar diariamente diferentes fotografias de utilizadores que usam a respectiva hashtag nas publicações, sendo mais tarde destacados. É criado um ambiente cheio de cultura, belas paisagens e com fotografias talentosas, apelando ao que é nacional.

 

Texto: Edilson Coutinho