Publicidade

O Cine Clube de Viseu inaugura na próxima terça-feira um novo ciclo de “Notre Cinéma”, dedicado à sétima arte francesa e composto por cinco filmes alternativos, o primeiro dos quais 120 Batimentos por Minuto, vencedor do Prémio do Júri no último Festival de Cannes.

A película, realizada por Robin Campillo, aborda o movimento Act Up francês, que na década de 90 quebrou o silêncio em relação à sida. O cineasta juntou-se-lhe em 1992 “porque tal como os outros, precisava daquilo para viver. Caso contrário, explodia”, revela o Cine Clube de Viseu. O filme estreou em Portugal em Dezembro e é a história dessa explosão, da emergência de agir, de ser ouvido.

O ciclo de cinema prossegue no dia 16 de Janeiro com O meu belo sol interior, de Claire Denis, que conta a história de uma artista parisiense, mãe divorciada, em busca do amor ideal. Com uma magnífica interpretação de Juliette Binoche, a obra de Claire Denis abriu a Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes e foi um dos maiores êxitos de bilheteira do cinema francês deste ano.

Segue-se, a 23 de Janeiro, Lumière, que resulta de uma selecção que o director do Festival de Cannes, Thierry Frémaux, fez de mais de 1400 filmes realizados pelos irmãos Louis e August, considerados os “pais do cinema”. Os 114 filmes escolhidos são obras de arte mundialmente conhecidas ou descobertas de filmes antes desconhecidos, recuperados em 4K e reunidos para celebrar o legado dos Lumière.

O quarto filme a ser exibido é A vida de uma mulher, no dia 30. Em 1819, Jeanne Le Perthuis des Vauds, uma jovem muito protegida e cheia de sonhos infantis, acabada de sair do convento onde estudara, casa-se com Julien de Lamare, que se revela um homem mesquinho, brutal e volúvel. Aos poucos, as ilusões de Jeanne começam a esfumar-se. O filme inspira-se na obra do escritor e poeta Guy de Maupassant.

O ciclo “Notre Cinéma” termina a 6 de Fevereiro com a comédia Ma loute, de Bruno Dumont, nomeada para a Palma de Ouro em Cannes. Em 1910, vários turistas começam a desaparecer das praias à volta do Canal da Mancha, em França. A polícia é chamada a intervir e descobre que tudo tem origem numa baía e numa estranha família burguesa que passa férias na zona e não se cruza com ninguém…

Todos os filmes vão ser exibidos a partir das 21:30 no auditório do Instituto Português do Desporto e da Juventude, em Viseu. Os bilhetes custam 4 euros para o público em geral e variam entre 1,50 e 2,50 euros para associados.