O carvalho é uma das espécies que vão se plantadas no âmbito do projecto "Um milhão de árvores por município para salvar o clima”. Fotografia: Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas
Publicidade

Um milhão. É este o número de árvores que a Câmara Municipal de Lamego vai plantar a partir da próxima terça-feira, dia 6 de Fevereiro, e durante os próximos cinco anos, no território do concelho. A apresentação do projecto “Um milhão de árvores por município para salvar o clima” vai ser feta às 14:30 na Serra das Meadas, junto à antiga Casa Florestal, seguindo-se a plantação simbólica de algumas árvores pelo presidente da autarquia, Ângelo Moura, e por alunos do ensino secundário.

A iniciativa ambiental é um esforço planeado e coordenado pela Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, com a colaboração dos municípios, freguesias e baldios dos respectivos concelhos. Lamego é o segundo município do país a aderir ao projecto, que começou em Vila Real, no dia 26 de Janeiro.

O objectivo é contribuir para um correcto ordenamento florestal do território nacional, tentando assim melhorar a gestão e diminuir o risco de incêndio, “através da implementação de mosaicos de floresta autóctone e da manutenção de faixas de espécies ripícolas ao longo das linhas de água”, revela a associação ambientalista.

O projecto visa reflorestar cerca de 1.000 hectares de áreas públicas, privadas ou comunitárias por concelho, plantando 1.000.000 espécies autóctones, como carvalhos, castanheiros, sobreiros, entre outras.

A aposta neste tipo de árvores vai contribuir para aumentar o sequestro de carbono, melhorar a qualidade da água, do ar, das propriedades e conservação dos solos e enriquecer a biodiversidade de cada região.

As espécies vão ser instaladas, sempre que possível, em povoamentos mistos ou em mosaicos, de modo a promover a maximização da biodiversidade e a diminuição do risco de incêndio.

Segundo a Quercus, o projecto vai ainda contribuir para aumentar o bem-estar das populações rurais, o emprego, as novas oportunidades de empreendedorismo “e, de uma forma global, a qualidade de vida das populações”.

“O combate ao aquecimento global e às alterações climáticas tem de ser um combate de toda a sociedade para tentar evitar o colapso do planeta e a extinção das espécies”, sublinha a associação.

Além das câmaras municipais, juntas de freguesia e baldios, o projecto “Um milhão de árvores por município para salvar o clima” pretende envolver associações, escolas, universidade, empresas, grupos desportivos e recreativos e cidadãos em geral, que vão ser convidados a participar em todas as acções de planeamento e implementação necessárias no âmbito desta iniciativa.