O famoso navio Gil Eannes, em Viana do Castelo
Publicidade

Viana do Castelo foi eleita Cidade Atlântica do Ano 2018, distinção que reconhece os esforços das cidades atlânticas em encontrar modelos sustentáveis e adaptados à identidade geográfica onde se inserem.

O título foi atribuído durante a Conferência das Cidades do Arco Atlântico e surge de uma candidatura que “reflecte os valores, as acções e as ambições do Arco Atlântico e que passam pelo mar, pelo património, pela inovação e pela luta contra as alterações climáticas”, revela o município de Viana do Castelo.

Cascais sucede às cidades de Brest (França) e de Las Palmas de Gran Canaria (Espanha). A escolha foi feita por um júri europeu composto por membros do Atlantic Strategy Group, um comité de especialistas que trabalha com a Comissão Europeia na implementação da Estratégia Marítima Atlântica.

Criada em 2000, a Conferência das Cidades do Arco Atlântico representa mais de 200 autoridades locais da costa atlântica europeia e trabalha directamente com as instituições comunitárias, nomeadamente no que respeita à afectação de fundos estruturais da Comissão Europeia, do grupo URBAN do Parlamento Europeu e do Programa INTERREG Espaço Atlântico.

O galardão de Cidade Atlântica do Ano 2018 vai ser entregue ao presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa, no próximo dia 13 de Março, na cidade francesa de Rennes, fundadora da Rede das Cidades do Arco Atlântico.

A cerimónia vai realizar-se durante um Seminário Internacional sobre a cultura atlântica, que encerra com a reunião da mesa executiva das Cidades do Arco Atlântico, neste que é o Ano Europeu do Património Cultural.