Publicidade

De 8 de Junho a 28 de Dezembro, o Espaço Memória dos Exílios, Estoril, abre portas a “Histórias e Vivências Judaicas em Portugal”. Uma organização conjunta entre a Fundação D. Luís I, a Câmara Municipal de Cascais e a rede de Judiarias de Portugal.

A exposição dá a conhecer o judaísmo sefardita no país, da antiguidade até aos dias de hoje. Trata-se de uma mostra itinerante, promovida pela Rede de Judiarias de Portugal, que em Cascais ganha destaque. Uma apresentação de objectos e documentos inéditos datados de 1938, em plena Segunda Guerra Mundial.

Pela primeira vez, o público tem acesso à correspondência trocada entre médicos judeus alemães e austríacos, que procuravam fugir à perseguição nazi.

Ao todo, 55 painéis com referências a nomes conceituados. São exibidos símbolos, objectos e manuscritos, para contar a história da presença judaica em Portugal.

Candelabros, Menorah, Prato de Seber, Shofar, a Carta Constitucional de 1821 (que legisla que a Religião Católica Apostólica Romana continuará a ser a Religião do Reino e que as outras todas serão permitidas aos estrangeiros apenas em cultos domésticos). Ilustrações, uma fotorreportagem do reconhecido fotógrafo Joshua Benoliel, uma inscrição primitiva do testemunho mais antigo da presença judaica em Mértola ou boletins de alojamento do filósofo e escritor Franz Wersel e da sua esposa Alma Mahler são alguns dos destaques desta exposição.