Publicidade

O Grande Prémio do Minho volta a fazer-se à estrada. Esta é a 30ª edição da prova, destinada ao escalão de juniores. O Grande Prémio do Minho é apadrinhado pelos ciclistas da região Tiago Machado, José Mendes, José Gonçalves e Domingos Gonçalves.

A prova está dividida em três etapas e arranca a 6 de Julho pelas 14 horas. O Centro de Ciclismo do Minho em Guimarães é o ponto de partida. Segue-se Melgaço no dia 7, que, pela natureza do percurso, constitui a etapa mais difícil. O Grande Prémio termina no dia 8 de Julho na Avenida Barjona de Freitas em Vieira do Minho.

Durante os 277, 7 quilómetros da prova, vão estar em disputa diversas contagens de montanha de 3ª categoria e três metas volantes, assim como as classificações gerais individuais por tempos (Camisola Amarela: CJR – Cândido José Rodrigues, SA), por pontos (Camisola Verde: Controlsafe), da Montanha (Camisola Azul: Arrecadações da Quintã), do melhor júnior de primeiro (Camisola Laranja: Cision), do melhor atleta da Associação de Ciclismo do Minho (Camisola Branca: Universidade do Minho), e por equipas.

A competição vai contar com um pelotão de 160 ciclistas, em representação de dezoito equipas portuguesas e seis espanholas. Para além disso, vão estar presentes ciclistas da Colômbia, Costa Rica, Marrocos, Chile, República Dominicana e Bulgária.

A edição de 2017 teve por percurso Cabeceiras de Basto, Vieira do Minho e Melgaço, e nela foi sagrado o vimaranense Pedro Lopes como campeão. Diogo Vieira conquistou a classificação geral dos pontos, o espanhol Abel Álvarez ganhou a classificação geral da montanha, e Afonso Silva venceu a classificação da juventude. A equipa vencedora foi a Academia Joaquim Agostinho / UDO.

O Grande Prémio do Minho surgiu em 1977, e é o ponto alto de sucessivas épocas desportivas levadas às estradas da região pela Associação de Ciclismo do Minho (ACM). É promovido e cooperação com a UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo.

Os detalhes da competição podem ser consultados no site oficial.