Fotografia: Município de Silves
Fotografia: Município de Silves
Publicidade

Corria o ano de 1189 e o rei de Portugal, D. Sancho I, ambicionava conquistar a cidade de Silves, ocupada pelos muçulmanos. O monarca pediu auxílio a um contingente de cruzados que tinha aportado acidentalmente em Lisboa, juntou-lhe as suas tropas e seguiu para a batalha. Cercaram a cidade durante 45 dias, incapazes de ultrapassar a potente muralha. Treinaram a arte de bem cavalgar, ensaiaram golpes de espada e de lança, aperfeiçoaram máquinas de guerra, até que conseguiram derrubar a couraça, que garantia o de abastecimento de água, o que os obrigou a render-se.

Fotografia: Município de Silves
Fotografia: Município de Silves

É este episódio, e todo o ambiente da época, que a Feira Medieval de Silves vai recriar entre os dias 11 e 19 de Agosto, tendo como base o tema desta edição e consequente espectáculo concebido de propósito, “Silves, 1189. A conquista”. A antiga capital do Reino do Algarve/Al-Gharb volta assim ao seu período áureo, numa autêntica viagem no tempo em que os figurantes convivem directamente com o público, pois também ele pode vestir-se à moda antiga, alugando um fato por um valor simbólico, e participar numa das “experiências medievais”.

Fotografia: Município de Silves
Fotografia: Município de Silves

Uma das propostas é viver o quotidiano de um nobre, trajando como ele, e ter todos os seus benefícios: andar sempre acompanhado, ser acolhido numa zona especial, ter um lugar de honra no torneio ou degustar manjares medievais. Seja qual for a personagem que se escolha, vive-se o espírito da Idade Média. Basta percorrer as ruas, cheias de artesãos, mercadores, místicos, músicos e dançarinos, vendedores de doçaria e kebab. E que melhor do que entrar numa taberna para provar um petisco, passando um bom serão com a família ou o grupo de amigos? Quem quiser, pode até trocar os euros pela moeda oficial da Feira Medieval de Silves, o xilb, e com ela fazer as suas compras.

Enquanto isso, cavaleiros e combatentes apeados defrontam-se com grande mestria na liça, mostrando como seriam os combates de outros tempos – são os famosos torneios medievais, com duas sessões diárias. Os mais novos podem divertir-se no Xilb dos Pequenos, na Praça Al-Um’tamid, onde os esperam actividades físicas, de expressão plástica e dramática, entre outras acções educativas e lúdicas.

Durante dez dias, Silves vai regressar à época medieval com um evento que já é uma referência no país e que tem um “enorme impacto económico na economia local”, adianta o Gabinete de Informações e Relações Públicas do município, o qual organiza a feira. A autarquia espera superar os números do ano passado, quando atraiu perto de 145 mil visitantes. 

Fotografia: Município de Silves
Fotografia: Município de Silves

Já conhece a edição da Descla sobre recriações históricas? Este Verão percorra Portugal desde os Romanos até ao século XVIII.
Veja na nossa edição Histórias (re)vividas.