Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios
Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios
Publicidade

Al Mossassa significa fundação. E essa palavra é o mote do festival homónimo que se desenrola em Marvão, recordando as raízes árabes da vila. O Castelo de Marvão, no pico da Serra de São Mamede, é o palco para os dias de animação que o festival garantidamente proporciona aos seus visitantes.

Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios
Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios

Assim, Marvão pinta-se com a cultura islâmica no Festival Al Mossassa. A 13ª edição do festival toma lugar de 5 a 7 de Outubro, fazendo a vila alentejana recuar até à era da sua fundação por Ibn-Maruán. O ambiente do século IX encontra aqui as suas expressões coloridas com encantadores de serpentes, bailarinas, cavaleiros berberes, aguadeiros, bufões, e vendilhões – sem sequer faltarem as cobras e os camelos!

Os visitantes podem desfrutar do artesanato e iguarias típicas da cultura árabe de então. No “Mercado das 3 Culturas”, situado na parte alta da vila, vai ser reconstituído o ambiente de um mercado típico da época, com dezenas de pontos de venda. Aqui cruzam-se os legados islâmico, judaico e cristão, o visitante poderá encontrar um vasto leque de produtos e objectos relacionados com todas estas culturas, tomar o verdadeiro chá árabe e saborear as iguarias de outrora.

Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios
Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios

A décima terceira edição da Al Mossassa terá uma animação itinerante e de palco, constante, ao longo dos três dias, com uma programação sedutora e fidedigna: recriações históricas, espetáculos de música, dança, fogo e artes circenses, demonstrações de falcoaria, encantadores de serpentes, e lutas de espadas.

De manhã até à noite, Marvão volta a ser árabe com o Al Mossassa, fazendo do Alentejo um ponto de visita essencial para os amantes de história.

Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios
Fotografia: Carlos Coxo / Câmara dos Ofícios

Ibn Maruán foi um líder militar e religioso sufista. É considerado o fundador de Marvão e de Badajoz, a partir do quais terá construído o seu reino independente, que se espalhava pelo Alentejo. Ibn Maruán mandou edificar o castelo de Marvão em 876, na altura conhecido por Fortaleza da Ammaia. Ficou conhecido pela sua astúcia e carácter aguerrido, tendo ao longo da sua vida política oscilado nas amizades entre cristãos e mouros. É esse espírito inter cultural e aguerrido que caracteriza o festival Al Mossassa.


Já conhece a edição da Descla sobre recriações históricas? Este Verão percorra Portugal desde os Romanos até ao século XVIII.
Veja na nossa edição Histórias (re)vividas.