Foto: Museu dos Transportes e Comunicações e Alfândega do Porto
Publicidade

Com a exposição “Os carros dos presidentes”, que decorre até 31 de Dezembro, o Museu dos Transportes e Comunicações e Alfândega do Porto criou um espaço de exposição permanente.

Trata-se de uma amostra de um vasto conjunto de viaturas que estiveram ao serviço das figuras da República e do Estado Novo, de Manuel de Arriaga a Cavaco Silva, dando a conhecer a evolução dos meios de transporte e algumas edições raras da indústria automóvel – desde as caleches e landaus do final do século XIX que ainda foram utilizados durante a I República, aos modelos motorizados topo de gama da década de 2000.

Cada visitante tem acesso à história de cada carro e à forma como foram adquiridos, através de painéis que se encontram dispersos por toda a exposição, assim como um vídeo explicativo.

Os veículos do Estado Novo

Do Estado Novo, conservam-se quatro viaturas de aparato, reservadas ao serviço protocolar: Rolls Royce Phantom III e V, o Mercedes 600 Pullman e o Vanden Plas Princess.

Depois do atentado contra a vida de Salazar em Julho de 1937, o Estado adquire dois Mercedes 770 W07 blindados. Contudo, não foram muito usados por possuírem uma manutenção e consumo elevados (cerca de 70l/100km). Mais tarde, foram os carros escolhidos durante a visita oficial a Portugal de Franco, chefe do Estado espanhol, em 1949. Outras viaturas que estiveram ao serviço protocolar do Estado Novo foram os Rolls Royce Phantom III e V, o Mercedes 600 Pullman e o Vanden Plas Princess.

Na foto, o Rolls Royce Phantom V

Esta exibição é o resultado de uma consciencialização de que as viaturas aqui presentes constituem-se como um património histórico, passando a integrar a colecção do museu da Presidência da República assim que terminam o seu período de serviço.

A instalação deste núcleo no Porto vem também ao encontro do objectivo do museu da Presidência da República em promover a descentralização da sua actividade, trazendo esta iniciativa para o Norte do país, região com grande tradição no que toca a colecções automóveis. Por outro lado, é uma oportunidade de os visitantes, conduzidos pelos motores da República, conhecerem a história da instituição presidencial.

Esta é apenas uma das várias iniciativas surpreendentes do Ano Europeu do Património Cultural sobre as quais pode ler na última edição da Descla.

Texto: Carolina Brilhante e Mariana Rodrigues