Publicidade

De óperas do MET, passando por artes circenses a uma conferência sobre pseudociência: o Teatro Viriato de Viseu não desanimou perante o recente corte de apoios e mostra uma agenda cheia e ambiciosa.

A directora geral, Paula Garcia, desvendou ontem a programação em conferência de imprensa, salientando os obstáculos que o corte feito pela Direcção Geral de Artes (no valor de 90 mil euros) colocou à instituição.

A temporada final de 2018 sofreu alterações; contudo, estão previstas várias novidades, inclusive um marco a nível nacional: depois de Lisboa, Viseu vai ser a segunda cidade portuguesa a receber transmissões de ópera do MET – Metropolitan Opera House de Nova Iorque.

Assim, os viseenses podem assistir aos espectáulos Aida (a 6 de Setembro), Samson et Dalila (dia 20), La Fanciulla del West (28), Marnie (10 de Novembro) e La Traviata (16 de Dezembro). As transmissões são em directo e em qualidade HD.

A nova temporada do Teatro Viriato arranca com a estreia de Do Alto da Ponte, uma peça baseada na dramaturgia de Artur Miller (o aclamado romancista que foi marido de Marylin Monroe). A estreia acontece na noite de 14 de Setembro, sendo que a peça volta a subir ao palco no dia 15.

Outros momentos teatrais incluem as peças Cinderela (12 de Outubro), Lusco Fusco (18 a 20 de Outubro), Veneno (8 e 9 de Novembro), e A Vida de John Smith (15 de Dezembro).

O teatro que tem mais do que teatro

Há também destaque para workshops, uma masterclass de pianismo com Inês Lamela, dança, concertos e momentos de leitura. Uma surpresa no Teatro Viriato é a inclusão dos espectáculos de circo: Plus Haut, da Companhia Barosolo, sobe ao palco a 25 de Setembro; já a 5 de Outubro a Companhia Erva Daninha apresenta 1.5º C Ponto de Equilíbrio.

A Fundação Francisco Manuel dos Santos alia-se ao Teatro Viriato e traz a conferência “Ciência e Pseudociência”, com Carlos Fiolhais e Bem Goldacre. O debate está marcado para 6 de Novembro e é de entrada gratuita.

O Teatro Viriato mantém a coordenação do projecto K Cena, que há vários anos monta uma peça teatral dinamizada e protagonizada por jovens voluntários sob a coordenação de Graeme Pulleyn, assim como do P3DRA, um conjunto de aulas de dança contemporânea (igualmente vocacionado para os jovens).

A programação de Setembro-Dezembro do Teatro Viriato pode ser consultada no website oficial.