O momento de entrega das chaves de uma das habitações reconstruídas
Publicidade

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) entregou ontem as chaves de duas casas reabilitadas pela entidade no concelho de Pampilhosa da Serra na sequência dos incêndios do ano passado.

O apoio surgiu no âmbito da campanha de angariação de fundos “Tudo por Portugal”, dinamizada pela FPF, cujo dinheiro obtido foi aplicado na reconstrução de doze casas de primeira habitação nas zonas mais afectadas pela duas grandes tragédias de 2017.

“Depois do inferno que passámos, estamos agora a viver um sonho”, confessou Luís Fernandes ao lado da esposa. O casal, residente na aldeia de Padrões, perdeu a casa no incêndio de Outubro e vai agora recomeçar a vida ao lado dos dois filhos numa nova habitação.

Também Lucília Pereira Batista, de 77 anos, tem agora uma casa renovada, na aldeia de Ceiroquinho, onde não conseguiu esconder a alegria neste momento tão especial. “Não tenho palavras suficientes para agradecer a toda a gente”, contou, visivelmente emocionada.

Lucília Pereira Batista, de 77 anos, tem agora uma casa renovada

O presidente da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, José Brito, sublinhou a “atitude magnânima” da Federação Portuguesa de Futebol, que agilizou todo este processo em colaboração com a Associação de Futebol de Coimbra. O mesmo referiu o presidente desta última, Horácio Antunes, para o qual se não fosse o “altruísmo e sentido de solidariedade de entidades como a FPF, talvez tivesse sido bem pior”. Na cerimónia participaram ainda os representantes da FPF, Francisca Araújo e Pedro Prudêncio.

No total, a campanha “Tudo por Portugal” aplicou 721.941,79 € na reconstrução de 12 casas nos distritos de Viseu, Coimbra, Castelo Branco e Leiria. Este montante adveio das receitas de bilheteira dos jogos particulares que a selecção nacional realizou com os Estados Unidos e Arábia Saudita, das linhas telefónicas do call center solidário instalado na Cidade do Futebol e dos donativos feitos directamente à FPF.