Fotografia: Câmara Municipal da Maia
Publicidade

‘A Eutanásia da Resignação’ é o tema da 23ª edição do Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia, que regressa esta sexta-feira para apresentar 30 espectáculos, a maioria inéditos em Portugal, incluindo peças espanholas, italianas e francesas.

O programa deste ano aposta em textos dramatúrgicos dos espanhóis Pedro Calderón de la Barca ou Luis Benavente, do dinamarquês Hans Christian Andersen, entre outros, e vários géneros teatrais, como o teatro físico, o teatro de rua, o novo circo ou o ‘vaudeville’.

Esta sexta, às 21:30, o espectáculo de abertura fica a cargo da espanhola Cia Vol’e Temps, com a peça de novo circo ‘Mundos Papel’, apresentada ao ar livre no exterior do Fórum da Maia, seguindo-se às 22:30 ‘vaudeville’ ‘Kiki’, da portuguesa Nova Companhia, no grande auditório do mesmo espaço.

No sábado, a dupla Marimbondo vai apresentar ‘Clérikuss’, às 21 horas, pouco antes de o Teatro Corsário, de Espanha, mostrar ‘Clásicos Cómicos’, recordando peças clássicas da dramaturgia espanhola.

O grande destaque de domingo vai para os franceses ‘Cie du Fil a Retordre’, que vão dar a conhecer ‘um Monde un Peu Meilleur’ pelas 21 horas: Ttês personagens incríveis entram no palco prontos a fazer qualquer coisa para agradar o público. Da simplicidade ao virtuosismo, a companhia apresenta 20 minutos de voo circense.

O programa inclui ainda a estreia nacional de  ‘Cranios Privilexiados… ou Crítica da Razón Perralleira’, dos galegos Mofa&Befa, no dia 9, às 21:30, ‘Mythos’, do Teatro Extremo (dia 12, à mesma hora) ou ‘O King Vai Nu’, da Umbigo (23 horas).

O encerramento fica a cargo da companhia espanhola Yllana, que regressa ao evento para apresentar em estreia mundial ‘Gag Movie’, uma “sátira sobre a fama e a sétima arte”, marcada para as 21:30 de dia 14, no grande auditório do Fórum da Maia.

Pela primeira vez, o Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia vai ter a interpretação em língua gestual portuguesa de “alguns espectáculos”, adiantou o director artístico do evento, José Leitão, que pretende um festival “mais inclusivo e acessível”. A 23ª edição do único festival português exclusivamente dedicado ao teatro cómico vai decorrer no Fórum da Maia e em espaços adjacentes.