Palhas de Abrantes
Publicidade

Queijinhos do céu, cornucópias de Alcobaça, barriga dos monges, toucinho-do-céu, palhas de Abrantes, bolo fidalgo, bolo lêvedo dos Açores, brisas do Tâmega… Estes são apenas alguns dos doces que vão estar na 17ª Feira Nacional de Doçaria Tradicional, de 26 a 28 de Outubro em Abrantes.

Uma das novidades deste ano é um licor de especiarias da Índia, que conjuga vários produtos da época dos Descobrimentos portugueses, feito por um expositor de Sardoal. Também a estrear no evento, vai estar a doçaria antiga dos conventos de Lisboa, com receitas que contam mais de 300 anos. Aos pastéis de toucinho e de gema, aos mimos de laranja e de gila, casquinhas e bollos de Rayva vão juntar-se-se, também, pela primeira vez, os biscoitos da Teixeira e os bombons de figo preto.

Nos 30 expositores, os visitantes vão poder encontrar, ainda, as tradicionais cavacas, pão de Deus, suspiros, filhós, coscoréis bolos de noiva e uma panóplia alargada de broas características da época. Mas os doces não se esgotam por aqui. 

As doçuras mais recentes não são esquecidas: bolachas, crocantes, brigadeiros, cupcakes, cakepops, sr. chocolate d’Ovar, desmanchado de pão-de-ló e bombocas, para acompanhar os licores, as compotas e o mel.

A 17ª edição inclui também oficinas de doçaria, dinamizadas pelas escolas da região. Na primeira, de dia 27, os participantes vão aprender a fazer queijadinha Mourisca de requeijão de ovelha, torcido de azeite e gelado de figo e mel. A ensinar vão estar os alunos do curso Técnico de Cozinha e Pastelaria, da Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes. Na manhã do dia seguinte, domingo, os alunos do curso de Restauração e Turismo da Escola EB 2,3/S Luís de Camões vão mostrar como fazer Trouxinhas de Constância, baseadas nos Queijinhos do Céu da Vila Poema.

Num programa para toda a família, o dia 27 vai ter duas leituras para bebés, animadas pela Biblioteca Municipal António Botto, sobre do livro A melhor sopa do mundo. À tarde, numa performance teatral, as crianças vão ser desafiadas a fazer bolachas coloridas com umas avós divertidas, antes de assistirem a um espectáculo de ilusionismo de Zé Mágico.

A música vai estar a cargo do novo projecto musical “Os Calhambeques”, por um grupo de oito amigos da Sociedade Artística Tramagalense, que presta tributo ao património musical do brasileiro Roberto Carlos. Segue-se a banda Time, de homenagem aos Pink Floyd, a ESTA Tuna e a Tuna da Universidade de Terceira Idade de Abrantes.

Para queimar as calorias de uma feira tão doce estão previstas duas actividades desportivas. No sábado, 27 de Outubro, vai realizar-se uma caminhada nocturna de cerca de quatro quilómetros pelo Centro Histórico de Abrantes, com visita guiada a locais emblemáticos da cidade e ligados à doçaria local. O percurso pode ser feito de três formas: turístico, livre e de corrida. 

Já o passeio guiado em BTT “Na Rota da Palha” vai desafiar os amantes desta modalidade em duas rodas a percorrer cerca de 30 quilómetros, no domingo de manhã. Este ano, a volta está programada em direcção à aldeia de Sentieiras. 

A Feira Nacional de Doçaria Tradicional realiza-se em Abrantes desde 2002, com o objectivo de promover e valorizar a rica doçaria tradicional e conventual da região. O evento é organizado pelo município em parceria com a TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior.