Na Fronteira da História: Pelas fortalezas do Centro

Publicidade

Caros leitores,

A nossa viagem pela fronteira portuguesa continua em Figueira de Castelo Rodrigo, que a certa altura da sua história quis ser espanhola, quando tomou o partido de D. Beatriz na crise de sucessão de 1385. É uma das Aldeias Históricas de Portugal, a par de Almeida e Sabugal, que também entram nesta edição.

Penamacor, o quarto destino desta segunda revista, tem uma torre que hoje serve de miradouro, do qual avistamos a “aldeia mais portuguesa de Portugal”, Monsanto, e as serras da Gardunha, Estrela e Malcata.

Idanha-a-Nova, a seguir, tem muitos castelos, sem contar os que já desapareceram, e em Castelo Branco descobrimos que a fortaleza é uma réplica de outra construída há muitos séculos na então chamada Terra Santa, hoje território sírio.

A viagem acaba em beleza, no arrebatador cenário das Portas de Ródão. Que mais poderíamos pedir? Apenas que venha a próxima edição, em meados de Novembro, onde havemos de percorrer a raia alentejana.

Boas leituras

A sentinela das Portas de Ródão

Ainda há muito para descobrir sobre o castelo de Vila Velha de Ródão

Da Síria a Castelo Branco

O castelo será uma réplica do Chastel Blanc, edificado pelos Templários na Terra Santa

Um, dois, três castelos, sem contar os que desapareceram

Idanha-a-Nova, Cidade da Música, é uma terra de lendas e tradições

A torre que é um miradouro

Acabadas as guerras, Penamacor viu a sua fortaleza ser destruída, pedra sobre pedra

Os cinco guardiões

Na cidade de Sabugal, há, nada mais, nada menos, do que meia dezena de castelos. Ao longo das suas trinta freguesias, entre...