Publicidade

O Museu do Brinquedo de Seia, que reabriu na semana passada após um breve período de manutenção, conta com uma nova exposição temporária, “A brincar…a brincar”, da autoria de Paula Estorninho, criadora de bonecas artesanais há mais de uma década.

A mostra, patente até ao final do mês de Dezembro, é um dos atractivos do espaço agora renovado, que viu aumentar a sua área expositiva com o espólio em reserva, como é o caso da sala afecta à escola ou à cultura lúdica dos continentes, que passa a destacar o americano.

O Museu do Brinquedo de Seia é um dos mais completos do país, pela diversidade de peças. Ao todo são mais de 10 000 brinquedos, de várias épocas da história da humanidade, provenientes, na sua maioria, de ofertas particulares e instituições, como embaixadas, regiões de turismo, câmara municipais, rotários, coleccionadores ou fabricantes.

Entre tradicionais brinquedos portugueses dos anos 20, guizos, bonecas, brinquedos de pano e borracha ou legos, há de tudo um pouco neste museu, que serve como “uma lembrança da nossa infância e de como crescemos como indivíduos e comunidades transformando-nos na sociedade actual”, revele o município de Seia.

Aberto desde 2002, o espaço já recebeu perto de 340 mil visitantes. Mais do que reunir a melhor colecção de brinquedos, o seu objectivo é “popularizar o seu conhecimento entre o grande público e muito especialmente entre as jovens gerações, relembrando a todos aqueles que o visitam, que os brinquedos, além de serem fonte de alegria são, também, um elemento valioso para o pleno desenvolvimento da criança”, sublinha a autarquia. O museu está aberto de terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas, com bilhetes a partir de 1,50 €.