Igreja Românica de Cedofeita. Fotografia: Área Metropolitana do Porto (AMP)
Publicidade

No tempo de São Martinho, que tal visitar uma igreja histórica a ele dedicada, que ainda por cima é uma das mais antigas do país? É o que propõe no próximo sábado a iniciativa “Um Objecto”, do município do Porto, convidando a conhecer ou redescobrir a Igreja Românica de Cedofeita.

O tempo, com cerca de 1500 anos, é o mais antigo da cidade nortenha e o segundo mais antigo do país, só precedido pela Sé de Braga, cuja edificação remonta há dois milénios. Terá sido construído no período suevo, estando ligado à origem toponímica local. Segundo a lenda, o edifício foi erguido com tal rapidez que era referido como Cito Facta, que significa Feito Cedo, expressão que derivou em Cedofeita.

A invoca a São Martinho virá desse período, embora as fontes documentais sejam insuficientes para o provar. O rei suevo Teodomiro terá dedicado a igreja ao santo após a cura do seu filho em presença das relíquias do mesmo.

A igreja foi alvo de sucessivas transformações ao longo dos tempos, mas a sua fase plenamente românica data da viragem para o século XIII. Trata-se de um dos primeiros monumentos românicos do Norte a repetir o formulário escultórico e iconográfico coimbrão.

Os guias da “viagem no tempo” deste sábado vão ser as historiadoras de arte Maria Leonor Botelho e Sara Rocha, numa sessão moderada por Elvira Rebelo, igualmente historiadora de arte e directora de Serviços de Bens Culturais da Direção Regional de Cultura do Norte.

A Igreja de São Martinho de Cedofeita tem lotação de 80 lugares. A participação tem um custo de 2 euros e o bilhete pode ser adquirido online ou nos locais habituais.