Fotografia: Direitos reservados
Publicidade

O kitesurfer português Nuno Figueiredo recebeu ontem o prémio do Guinness World Records por ter descido na praia do Norte, na Nazaré, a maior onda do mundo naquela modalidade. O feito foi alcançado dia 8 de Novembro do ano passado, quando o desportista deslizou por uma onda de 19 metros.

Em declarações à agência Lusa, Figueiredo falou num “orgulho para o país” e “um sonho tornado realidade”. Para o presidente da Federação Internacional de Kitesports, Diogo Pires Fernandes, o recorde é “uma mais-valia para Portugal e para a Nazaré” e contribui para “o reconhecimento do desporto nacional na disciplina das ondas”.

O recorde da maior onda em kitesurf não é o primeiro a ser obtido na Nazaré, mas para o presidente da câmara local, Walter Chicharro, “tem um significado especial por ter sido conquistado por um português”.

Em 2011, na mesma praia, o norte-americano Garrett McNamara surfou a maior onda do mundo, com 23,8 metros, sendo superado em 2017 pelo brasileiro Rodrigo Coxa, que dominou uma onda de 24,38 metros. Já em Janeiro deste ano, Maya Gabeiro bateu também o recorde na categoria de surf feminino.

“O potencial destas ondas é imenso e acredito que temos ainda muitos recordes para bater”, afirmou Walter Chicharro, à margem da cerimónia de entrega do diploma a Nuno Figueiredo, que decorreu no Forte de S. Miguel, na Nazaré.

Natural do Porto, o kitesurfer de 41 anos começou a fazer as primeiras ondas aos 14, descobrindo depois a modalidade como alternativa às nortadas portuguesas. Tricampeão nacional de kitewave, Figueiredo venceu também diversas provas internacionais na mesma disciplina.

O desportista foi o primeiro kitesurfer a integrar o projecto museológico ‘Surfer Wall’ (parede com as pranchas de surf de atletas de todo o mundo) criado em 2016 com o objectivo de materializar o reconhecimento da vila da Nazaré pelos surfistas que procuram a superação nas ondas da Praia do Norte e que, por essa via, a divulgam em todo o mundo.