carrinha comercial Renault Estafette
Publicidade

O Renault R5 Turbo, a carrinha comercial Renault Estafette e o raríssimo Renault 20HP de 1912 são alguns dos veículos que vão poder ser admirados a partir do próximo domingo no Museu do Caramulo na nova exposição, “Renault: 120 anos na estrada”, que assinala os 120 anos de uma das mais antigas e emblemáticas marcas automóveis do mundo.

A mostra, de entrada gratuita, dá a conhecer oito automóveis que ficaram na história da marca francesa, nas suas versões mais especiais e raras, com destaque para esse Renault 20HP, o mais antigo em Portugal. A Renault 4L e o Renault 8 Gordini são outras das estrelas da exposição.

O grupo Renault foi fundado em 1899 pelo industrial francês Louis Renault e seus irmãos Marcel e Fernand, conme por se destacar na competição automóvel, com vários triunfos das suas voiturettes. Louis e Marcel também competiram com modelos de sua fábrica, tendo o segundo falecido num acidente de carro em 1903, durante uma corrida de Paris a Madrid. Apesar disso, a marca continuou a participar em provas e a coleccionar triunfos com o modelo AK 90 CV, conquistando o primeiro Grand Prix da história em 1906.

As fábricas da Renault adoptaram a produção em série em 1905 e, poucos anos depois, o taylorismo como forma de organização do trabalho. Durante a primeira guerra mundial, a empresa fabricou camiões, macas, ambulâncias, granadas e os famosos tanques FT17, que foram decisivos para a vitória final.

O famoso Renault 5

Em 1929 foi criada a primeira linha de montagem da fábrica de Billancourt, que, tal como as outras do grupo, foi utilizada pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial para produzir veículos militares. Louis Renault considerava o conflito com a Alemanha um erro e por isso submeteu-se às exigências dos alemães, sendo preso em 1944 por “manter relações comerciais com inimigos” e, em consequência disso, a empresa Renault foi nacionalizada, tornando-se na “Régie Nationale des Usines Renault” (RNUR).

A marca lançou, em 1946, o 4 CV, o primeiro “pequeno veículo para todos”, e de seguida o Dauphine, o Renault 4, o Renault 5 e um modelo topo de gama, o Renault 16, ao mesmo tempo que continuou a destacar-se nos ralis, entrando também na Fórmula 1 no final dos anos 70.

Nos anos 90, já após a privatização, a Renault entrou no capital da Nissan e continuou a inovar com o Mégane ou o Laguna e reforçou a sua notoriedade graças aos sucessos na Fórmula 1. O plano Renault Contrato 2009 fez do grupo francês o construtor europeu mais rentável, e em 2011 surgiram os primeiros veículos eléctricos acessíveis a todos, o Kangoo Z.E. e o Fluence Z.E., seguidos do Twizy e do ZOE.

“Renault: 120 anos na estrada” vai ser inaugurada no próximo sábado, às 17 horas, e vai estar patente de 2 de Dezembro de 2018 até 31 de Março de 2019.