Imagem da Volta Algarve 2018
Publicidade

O Algarve Granfondo Cofidis, evento de participação popular associado à Volta ao Algarve, vai ter na próxima edição um cariz solidário: por cada participante vai ser plantada uma árvore na serra de Monchique, muito afectada pelos incêndios do último Verão. O anúncio foi feito pela organização da prova, que revelou haver já mais de 230 pessoas inscritas para a iniciativa, agendada para 24 de Fevereiro de 2019.

“Apesar de ter partida e chegada em Loulé, entendemos o evento como uma realização de todo o Algarve. Por isso, será oferecida uma árvore por cada participante, num contributo do ciclismo para a reflorestação da serra de Monchique”, revela Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC).

Os participantes do Algarve Granfondo Cofidis vão ter duas possibilidades de escolha, o Granfondo com 110 quilómetros e um acumulado 2200 metros ou o Mediofondo com 60 quilómetros e um acumulado de 1100 metros.

O primeiro destina-se aos participantes em melhor condição física, “capazes de aceitar um desafio exigente, compensado pelas paisagens fantásticas da serra algarvia, que incluem as subidas de Vermelhos e do Ameixial, locais de passagem da Volta ao Algarve”, sublinha a organização.

O Mediofondo é mais acessível e “ideal para quem pretenda uma manhã de domingo tranquila, com possibilidade de, calmamente ,deslocar-se no final ao alto do Malhão para assistir ao derradeiro esforço dos heróis da Volta ao Algarve”.

Até 31 de Dezembro as inscrições têm um custo de 25 euros para federados na FPC e de 30 para não federados, subindo esse valor cinco euros, em cada caso, a partir de 1 de Janeiro. A inscrição em qualquer das provas dá direito a abastecimentos sólidos e líquidos, brindes, frontal, seguro, medalha de finisher, banho e almoço buffet.